Justiça suspende ação penal contra ex-reitor da UEG por desvio de recursos públicos

Luiz Antônio Arantes foi um dos investigados da operação do MPGO que revelou um esquema de corrupção dentro da universidade

Luiz Antônio Arantes, ex-reitor da UEG | Foto: Divulgação

Luiz Antônio Arantes, ex-reitor da UEG | Foto: Divulgação

A 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO) concedeu, nesta terça-feira (16/8), habeas corpus para trancamento da ação penal contra o ex-reitor da Universidade Estadual de Goiás (UEG), Luiz Antônio Arantes. Ele é acusado dos crimes de peculato, lavagem de dinheiro e associação criminosa.

O relator do processo, o desembargador Fábio Cristovão de Campos Faria, entendeu que a denúncia do Ministério Público de Goiás (MPGO) estaria baseada em provas ilícitas, com gravação de áudio e vídeo sem autorização judicial.

No último dia 6 de março, a 2ª Câmara negou o habeas corpus ao ex-reitor pela falta de elementos apresentados pela defesa. Dessa vez, no entanto, o entendimento judicial deu o parecer favorável a Luiz Antônio.

O ex-reitor foi um dos investigados da Operação Boca do Caixa, deflagrada pelo órgão ministerial em 2012, quando foi revelado um esquema de corrupção na UEG, responsável pelo desvio de R$ 425,3 mil em benefício da campanha para deputado federal do ex-reitor José Izecias, em 2006.

A defesa de Luiz Antônio atesta que ele não possui participação na transferência de recursos dos cofres da universidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.