Justiça solta diretor da Agetop Marcos Musse

Gestor foi preso temporariamente na última semana durante Operação Compadrio, do Ministério Público, que apura crimes contra a administração pública em Goiás

Fotos: Eduardo Ferreira

Musse foi preso de forma temporária na última semana | Fotos: Eduardo Ferreira

A Justiça concedeu na manhã desta quarta-feira (19/8), por volta das 11 horas, habeas corpus ao diretor da Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop), José Marcos Musse, preso no último dia 11 durante a Operação Compadrio, do Ministério Público de Goiás (MPGO). De acordo com o advogado Ovídio Martins, Musse está sendo solto neste momento.

O advogado ainda explicou que agora aguardarão próximos passos no Ministério Público. O órgão tem até a próxima quinta-feira (20) para oferecer denúncia na 10ª Vara Criminal.

No último sábado (15), a Justiça goiana atendeu a solicitação do MP e decidiu pela prorrogação da prisão  de cinco dos sete detidos temporariamente na operação, dentre eles Musse.

As investigações da Operação Compadrio foram iniciadas em 2013, e apuram a prática de crimes contra a administração pública realizadas por uma organização criminosa instalada em órgãos públicos do Estado de Goiás. Segundo o MP, esse grupo utilizava funcionários fantasmas e de empresas laranjas para desviar dinheiro público.

Foram apuradas também práticas de favorecimento em licitações públicas, lavagem de dinheiro e retirada fraudulenta de restrições bancárias, cartorárias e no cadastro de proteção ao crédito, todos eles contando com a colaboração e participação de funcionários públicos.

Na última semana, além das prisões temporárias, foram cumpridos dois mandados de prisão preventiva, 21 mandados de condução coercitiva e 37 mandados de busca e apreensão.

Leia mais:

Saiba quem são os presos na Operação Compadrio
Veja mapa da Operação Compadrio
Deputado critica Operação Compadrio: “Show montado pelo Ministério Público”
Ex-deputado Tiãozinho Costa é preso na Operação Compadrio
Advogado diz que denúncia contra diretor da Agetop é “ficção”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.