Justiça quer o bloqueio de R$ 50 milhões de João de Deus

Dinheiro pode ser usado para reparação de vítimas e indenização por dano moral coletivo

Na noite desta quinta-feira, 27, o Tribunal de Justiça determinou o bloqueio de R$ 50 milhões das contas de João Teixeira de Faria, conhecido por João de Deus. Desse valor, R$ 20 milhões poderão ser utilizados para reparar vítimas de abusos sexuais cometidos pelo médium de acordo com denúncias.

Segundo a assessoria do Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO), os outros R$ 30 milhões serão destinados a indenizações por dano moral coletivo. Além disso, a primeira denúncia por crimes sexuais contra o médium será apresentada nesta sexta, 28, pela Justiça.

João de Deus é acusado de ter cometido abusos sexuais enquanto realizava atendimentos espirituais na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia. Ele pode responder por estupro, estupro de vulnerável, violação sexual mediante fraude e, ainda, por posse ilegal de arma de fogo.

Ao Jornal Opção, o advogado Alex Neder disse que a defesa ainda não recebeu nenhuma informação sobre essa decisão.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.