Justiça concede habeas corpus e João de Deus volta para prisão domiciliar

Já condenado a mais de 60 anos de prisão, João de Deus deve voltar a utilizar tornozeleira eletrônica

Após a última denúncia por prática de crime sexual, João Teixeira de Faria, mais conhecido como João de Deus vai voltar para a prisão domiciliar. O habeas corpus foi concedido pelo Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO) nesta terça, depois de um pedido da defesa do médium. Ele volta a cumprir a medida em sua mansão em Anápolis (GO), cidade próxima a Abadiânia, berço da Casa de Dom Inácio de Loyola.

Já condenado a mais de 60 anos de prisão, João de Deus deve voltar a utilizar tornozeleira eletrônica. Em nota, os advogados informaram que a justiça admitiu os argumentos da defesa e “reforçou o seu entendimento com base na dignidade da pessoa humana, já que o médium possui diversas doenças crônicas, atestadas pela Junta Médica do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás, e pelo fato de ter mais de 80 anos, além da ausência da ocorrência de novos crimes e a falta de contemporaneidade da prisão decretada com os fatos sob investigação”.

No mês passado, João de Deus voltou para unidade prisional depois que o Ministério Público de Goiás (MPGO) levou a 15ª denúncia à Justiça, pela prática de crimes sexuais envolvendo outras oito mulheres. Apesar disso, o MPGO afirma que os fatos correspondentes à última denúncia estão relacionados a outras 44 vítimas que, em razão de os crimes estarem prescritos ou ter decaído o direito de representação, elas são consideradas como testemunhas no processo. Os crimes aconteceram na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia.

João de Deus foi preso em Anápolis. À época, ele foi encaminhado ao núcleo de custódia do complexo prisional de Aparecida. Além dos crimes sexuais, ele também foi condenado a 4 anos de reclusão por posse irregular de arma de fogo de uso permitido e por posse irregular de arma de fogo de uso restrito.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.