Intolerante, ele passou mal e escolheu deixar hotel durante a madrugada, apesar da presença de oficial de justiça no local

O adiamento do julgamento dos cinco acusados de matar o radialista Valério Luiz foi provocado pela ingestão de lactose por um dos jurados, intolerante. Segundo informações do Tribunal de Justiça de Goiás, o jurado é intolerante a lactose, mas consumiu alimentos como lasanha e estrogonofe, servidos para o júri, e acabou passando mal durante a madrugada.

Por volta das 4h15 da manhã, com mal-estar, ele se dirigiu à recepção do hotel e pediu ajuda para chamar um carro de aplicativo para levá-lo para casa. Por meio da assessoria, o Tribunal pontuou que o jurado estava visivelmente abalado pelo problema de saúde, chegou a vomitar no local e foi examinado por um médico, que percebeu que ele não tinha condições de seguir na sessão.

Após o adiamento do júri, Valério Luiz Filho pediu por mais segurança ao redor dos jurados. “Eu pessoalmente queria continuar, mas o MP, como fiscal da lei, viu que não havia condições porque a gente não sabe o que o jurado fez na madrugada. Queria fazer um apelo para que, na próxima sessão o tribunal reforce a segurança dos jurados”, pontuou. De acordo com o TJ-GO, havia um oficial de justiça presente no hotel no momento em que o jurado conseguiu deixar o local.

Por meio da assessoria, o Tribunal também pontuou que maior dano seria se o júri tivesse acontecido nessas condições, com a isenção do jurado quebrada, e destacou que o juiz agiu de maneira transparente, com todos os movimentos constados em ata.