José Eliton: “Prefiro exceder e garantir a ordem pública a pecar por não estar atento”

Vice-governador e secretário de Segurança Pública explica que adiamento do jogo entre Vila e Goiás é uma medida preventiva para assegurar direito dos cidadãos 

Vice-governador e secretário José Eliton durante coletiva de imprensa na SSPAP-GO | Foto: André Saddi

Vice-governador e secretário José Eliton durante coletiva de imprensa na SSPAP-GO | Foto: André Saddi

O vice-governador e secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária, José Eliton (PSDB), assegurou ao Jornal Opção, na noite desta terça-feira (12/4), que a decisão de adiar o jogo de futebol entre Vila Nova e Goiás é estritamente técnica.

A sessão para votação do pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) na Câmara Federal deve começar as 14 horas deste domingo (17) — mesma data em que a partida estava marcada. Com isso, a secretaria entendeu que o caminho mais prudente seria o de cancelá-la.

“Discutimos sob a ótica da inteligência e com o objetivo de garantir a manutenção da segurança de todos os cidadãos. Haverá uma votação de uma matéria que têm movimentado milhares de pessoas às ruas e termos um evento esportivo que envolve os dois maiores times da capital pode causar uma situação de instabilidade social”, explica.

Para José Eliton, a realização do jogo não implica que pode haver violência ou qualquer tipo de conturbação da ordem pública. No entanto, em se tratando de futebol e paixões políticas, pode ser que, caso grupos contrários se encontrem, haja, sim, situação de instabilidade social — não propriamente dentro do estádio, mas no pré e pós-jogo.

“É uma decisão pautada na prudência e na prevenção. Ação para garantir o direito de ir e vir de todo o cidadão goianiense. Uma situação adversa e delicada, portanto, é nosso dever proteger a sociedade”, justifica.

Questionado se a decisão seria muito rígida, Eliton foi incisivo: “Prefiro exceder e garantir a ordem pública e a segurança de todos a pecar por não estar atento”.

O secretário afiançou, ainda, que o aparato da Segurança Pública do Estado de Goiás está preparado e pronto para garantir o livre direito de manifestação de todos — sejam eles contrários ou a favor do processo de impeachment da presidente Dilma: “Dentro dos limites da lei, evidentemente”.

Ao final da entrevista, José Eliton aproveitou para garantir que ameaças de alguns movimentos sociais de bloquear estradas e causar “revoltas” caso o processo contra Dilma seja aprovado não serão toleradas pelo governo de Goiás. “Temos mais de 20 mil homens a postos. Iremos atuar incisivamente em todas as regiões do Estado para garantir o direito de ir e vir de todos os cidadão. Não aceitaremos incitação à violência”, arrematou.

Anúncio

Em coletiva de imprensa na tarde desta terça-feira (12/4), o secretário da SSPAP-GO, José Eliton, informou que enviou uma portaria ao presidente da Federação Goiana de Futebol, André Luiz Pitta, cancelando a partida entre Vila Nova e Goiás que seria realizada neste domingo (17) — dia da votação do processo de impeachment na Câmara Federal.

Ao Jornal Opção, o vice-governador disse que o presidente da federação entende a situação delicada pela qual passa o País e deve organizar uma nova data assim que possível.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.