José Eliton diz que irá concluir governo com obrigações cumpridas

Em pronunciamento, governador diz que vai entregar o Estado com as contas e os serviços em dia, assegurando o cumprimento das regras estabelecidas pela Lei Fiscal 

Divulgação

O governador José Eliton afirmou nesta sexta-feira (19/10), em pronunciamento durante a solenidade de assinatura de convênio com o Ministério das Cidades para a construção de 591 unidades habitacionais em Planaltina de Goiás e em Aparecida de Goiânia, que concluirá seu mandato em 31 de dezembro com as obrigações cumpridas.

“Nós vamos concluir o ano com as obrigações estabelecidas e cumpridas, sejam as obrigações estabelecidas na Lei de Responsabilidade Fiscal, sejam as obrigações estabelecidas na Constituição e na legislação infraconstitucional do Estado”, disse, para destacar que, “mais do que isso, vamos continuar a jornada de entrega de serviços à população”.

Participaram da solenidade o senador eleito Vanderlan Cardoso, que representou o ministro das Cidades, Alexandre Baldy, a superintendente regional da Caixa, Marise Fernandes, o prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha, e representantes da prefeitura de Planaltina. José Eliton observou que os serviços que são obrigação do Estado estão sendo prestados normalmente, apesar das dificuldades de arrecadação resultantes da crise econômica nacional e que a realidade fiscal do Governo de Goiás é “inteiramente diferente da recebida em 1999”, quando Marconi Perillo assumiu o primeiro de seus quatro mandatos.

“Reconhecemos as dificuldades, não vivemos em céu de brigadeiro, lógico que não, porque estamos diante de uma crise que impactou negativamente em 1,3 (ponto porcentual) o PIB (Produto Interno Bruto) nacional”, disse.

“Tivemos a greve nacional dos caminhoneiros, que teve impacto nas contas públicas dos Estados, inclusive Goiás, e uma série de situações em que fomos impedidos de fazer operação de crédito com a Caixa Econômica, que sabe muito bem disso, de R$ 510 milhões já aprovados para Goiás, mas que autoridades trabalharam contra. Mas, nem por isso deixamos de realizar as nossas obrigações e assim vamos continuar”, afirmou o governador.

“Goiás é grande, é importante, e vou entregar o governo em boas condições para que o próximo governador possa realizar também um grande trabalho. E todos nós, nas medidas das nossas condições, vamos estar à disposição para que Goiás continue a avançar, continue a responder aos mais humildes”, disse José Eliton.

“Goiás, do ponto de vista fiscal, tem uma realidade muito distinta da que tínhamos em 1999. Naquele momento, nós precisávamos de três receitas anuais para pagar a dívida do Estado. Hoje a relação dívida receita é inferior a 0,93”, afirmou.

O governador disse que as medidas continuadas de ajuste permitiram que ele cumprisse seu compromisso de governar com foco no ser humano. “Em meu discurso de posse, em abril, eu disse que nosso foco seria o ser humano e, desde abril, segundo mostram os números do Orçamento, nós repassamos mais de R$ 300 milhões para programas de inclusão social. Uma agenda que impacta quem mais precisa. Essa é a minha agenda”, completou.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.