Deputado federal reeleito comentou as críticas do senador eleito, Jorge Kajuru, em relação ao trabalho como parlamentar

Foto: Fábio Costa/Jornal Opção

O deputado federal Delegado Waldir Soares (PSL) afirmou ao Jornal Opção que o senador eleito por Goiás, Jorge Kajuru (PRP), não foi pioneiro ao propor o fim das regalias aos políticos e abrir mão de benefícios concedidos aos parlamentares do Congresso Nacional.

Em resposta à entrevista de Jorge Kajuru ao Opção, Waldir Soares lembra que os dois estiveram juntos no mesmo caminhão, em ato eleitoral, pedindo votos ao governador eleito Ronaldo Caiado (DEM) e ao candidato à reeleição senador Wilder Morais (DEM). O delegado diz que pediu votos ao Kajuru e vice-versa. “Ele está sendo mal agradecido e cuspindo no prato que comeu. A pior coisa que tem é a ingratidão e ele está idêntico ao Marconi Perillo, um mal agradecido e infiel. Isso não é bom na política, ainda mais para quem se diz renovação”, dispara Waldir Soares.

O deputado federal acrescenta um segundo ponto: a desinformação do vereador. “Me surpreende ele, que se diz tão culto e trabalhou em grandes jornais do Brasil, falar de algo que não conhece. Basta ele acessar um pesquisador na internet que terá acesso aos outros parlamentares que fizeram isso antes dele.”

Ofício do deputado encaminhado à Mesa Diretora da Câmara dos Deputados recusando o auxílio-moradia | Foto: Reprodução

Waldir confirma que se inspirou no exemplo do senador brasiliense José Antonio Reguffe (Sem partido) ao abrir mão de benefícios e propor fim de regalias. “Antes do Kajuru abrir a boca para falar que ia abrir mão de alguma coisa para se eleger vereador em Goiânia, eu já tinha recusado o auxílio-moradia, apartamento funcional, telefone funcional e helicóptero”, responde Waldir.

O parlamentar acrescenta que deputados federais não dispõem de carros oficiais. “Não tenho motorista porque dirijo pessoalmente para Brasília. Não tenho segurança pessoal e sou o congressista que menos gasta verba indenizatória entre os 513 deputados federais e 81 senadores”.

Waldir afirma que se o senador eleito se espelhar nele no próximo mandato, já “estará bem”, mas sugere que Kajuru o supere no exercício parlamentar. “Eu nunca precisei registrar nada em cartório para cumprir, eu fiz em respeito ao eleitor. Se tem muita conversa fiada na política, só pode ser a dele”, conclui o delegado.

Ofício de Waldir Soares abrindo mão de auxílio-transporte às esposas de congressistas para viagem a Brasília | Foto: Reprodução