João de Deus foi espancado na prisão, diz Revista Veja

Condenado por crimes sexuais, ele foi transferido para prisão domiciliar por conta da pandemia da Covid-19

Foto: Divulgação

João Teixeira de Faria, conhecido como João de Deus, de 77 anos de idade, pode ter sofrido maus tratos na prisão. A informação é da Revista Veja que divulgou neste sábado, 4, que um laudo médico anexado no processo comprovou que ele teria sido vítima de agressão física, com lesão na face, localizada na pálpebra inferior direita, causada por instrumento contundente.

Em conversa recente com um representante do Conselho da Comunidade de Execução Penal de Aparecida de Goiânia, João Teixeira disse ter recebido ‘um soco’, mas na presença dos agentes penitenciários teria ficado receoso de ser espancado novamente e alegou ter sido vítima de uma queda ao sair de sua cama. De acordo com o relato, a agressão ocorreu no início do mês passado.

Na sentença que autorizou João a cumprir pena em regime domiciliar, a juíza Rosângela Rodrigues Santos, da comarca de Abadiânia, faz menção a um laudo do Instituto de Criminalística de Goiás, comprovando que o médium foi agredido com “instrumento contundente”, mas não especifica o dia da agressão.

A juíza alertou para as “más condições da cela”, com paredes mofadas, lixo hospitalar aberto e até agulha de seringa usada no chão, segundo ela um ambiente propício à disseminação do coronavírus. “O estabelecimento prisional é absolutamente carente em termos estruturais e humanos para oferecimento de cuidados básicos com a saúde e tratamento de qualquer um de seus custodiados, o que dirá daqueles que apresentam o quadro de debilidade física e de doenças graves”, diz ela.

Outro lado

A direção do Núcleo de Custódia, pertencente à Superintendência de Segurança da Diretoria-Geral de Administração (DGAP) informou, por meio de nota, que o custodiado recebeu todas as assistências necessárias enquanto estava no local e que não procede as informações indicadas pelo veículo de comunicação. Veja a nota na íntegra:

A direção do Núcleo de Custódia, pertencente à Superintendência de Segurança da Diretoria-Geral de Administração (DGAP) informa que o Custodiado recebeu todas as assistências necessárias enquanto estava no local. Informa ainda que diversas oitivas em conjunto com advogados foram realizadas , momentos em que o detento afirmou que tais hematomas foram causados devido a quedas. As informações das oitavas foram assinadas pelo custodiado, defensores, representantes judiciais, além do diretor da unidade. Dessa forma, a direção do presídio informa que não procede as informações indicadas por este veículo de comunicação.

A direção da Casa de Prisão Provisória (CPP) de Aparecida de Goiânia, que integra a 1ª Coordenação Regional Prisional da DGAP-Unidade onde João Teixeira de Faria se encontrava antes do cumprimento da prisão em domiciliar – frisa que o custodiado não apresentou nenhuma queixa sobre hematomas.

A instituição frisa que manifestações, sugestões e reclamações de advogados e familiares devem ser protocoladas de forma oficial por meio da ouvidoria da Secretária de Segurança Pública (SSP) pelo telefone (62)3201-1212 para que após analise a instituição tome as devidas providências, em conformidade com a lei.

Goiânia, 04 de abril de 2020

Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP)
Comunicação Setorial

2 respostas para “João de Deus foi espancado na prisão, diz Revista Veja”

  1. Creuza S.S disse:

    Se bem que ele morrendo agora ainda pagou muito pouco

  2. Antônio Madureira disse:

    Tá com pena dele leva pra casa esse demônio que se dizia de Deus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.