Deputado goiano já adiantou que considera alterar parecer, que contempla alguns pontos polêmicos 

Do PRB, reduto da Igreja Universal, João Campos | Foto: Divulgação / Câmara dos Deputados

Alvo de controvérsia, o parecer do deputado federal João Campos (PRB) sobre a reforma do Código de Processo Penal ainda pode sofrer alterações no Congresso. Por isso, o parlamentar prefere definir como especulações as críticas em torno de pontos mais polêmicos do texto.

Em nota, o goiano afirma que entende que não é dono da verdade e que todas as opiniões devem ser consideradas. Para tanto, afirma que tem buscado conversar com todos os segmentos interessados para que haja um consenso no texto final.

[relacionadas artigos=”123155,122957″]

Um dos trechos mais controversos do parecer diz respeito à restrição do poder de investigação do Ministério Público, que só passaria a atuar se ficar comprovado que a polícia não está devidamente empenhada.

O arquivamento de casos após dois anos de tramitação, independente da gravidade do crime, e a perda de direitos da Polícia Federal de analisar crimes praticados dentro do Congresso são outros pontos polêmicos.

Com as mudanças apresentadas, críticos afirmam que operações, como a Lava Jato, se tornariam inviáveis. João Campos rebate e reitera que considera novas alterações no texto.

“O mais importante, diz o deputado, é que cada corporação desempenhe seu papel com excelência para que o conjunto de ações, ao final traga resultados positivos para a elucidação de crimes de qualquer natureza”, diz a assessoria do parlamentar em nota.