Jardel Sebba descarta composição em Goiás e diz que “Marconi e Caiado são água e óleo”

Líderes do MDB, PSDB e União Brasil anunciaram que as legendas vão se unir para escolherem um mesmo nome para presidência do Brasil

Apesar de MDB e União Brasil caminharem juntos em Goiás, onde dividem a chapa majoritária para o Palácio das Esmeraldas tendo Ronaldo Caiado (UB) na cabeça e Daniel Vilela (MDB) na vice, não há chance de composição regional com o PSDB, partido cujo um dos principais nomes, Marconi Perillo, é adversário histórico do MDB e oposição ao atual governo. Por outro lado, nacionalmente houve composição entre as três siglas, que decidiram se unir para lançar uma candidatura única à presidência da República. Por aqui, não há chances de reflexo dessa aliança.

“Marconi e Caiado são água e óleo”, avalia o executivo do PSDB goiano, Jardel Sebba. Ele descarta qualquer chance da aliança nacional reverberar em Goiás devido as disparidades políticas entre os principais nomes envolvidos. A possibilidade de junção dos partidos também é rechaçada pelo ex-presidente do PSDB de Goiânia, Eurípedes Jerônimo. Para ele, a composição é impossível também pelas posições político-ideológicas muito divergentes entre o PSDB e Ronaldo Caiado. “Nossa atuação política sempre foi centro-esquerda. Caiado e Bolsonaro são de extrema direita”, entende. Nesse quesito, no entanto, as siglas estão juntas. PSDB e União concordam que a coligação a nível nacional não afeta a articulação de Goiás.

De acordo com deputado federal Delegado Waldir (União Brasil), as decisões ficaram apenas para São Paulo. Segundo ele, em Goiás, Caiado e Marconi não vão ter que se reunir para chegarem a um consenso sobre qual presidente à República deverão apoiar em conjunto. Jerônimo, inclusive, disse que, para ele, o candidato tucano à presidência é João Doria.

A nível Brasil, a reorganização dos partidos será por meio de uma aliança. Os três decidiram que não vão federar. A escolha foi definida no último domingo, 13, pelos presidentes as legendas Bruno Araújo (PSDB), Baleia Rossi (MDB) e Luciano Bivar (União Brasil). A aliança também se estende ao Cidadania, que deve formar uma federação com o PSDB. Agora, falta definir quem será o candidato do grupo.

O pré-candidato do PSDB ao Palácio da Alvorada é o governador de São Paulo, João Doria e a pré-candidata pelo MDB é a senadora Simone Tebet. O União Brasil, por outro lado, ainda não se decidiu, mas o próprio presidente Luciano Bivar é cogitado. A apresentação do candidato escolhido por essa aliança deverá ser apresentada no início de abril, pois é nesse período que está previsto o começo das disputas entre os pré-candidatos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.