Ministério da Saúde descarta possibilidade de que paciente internada no HDT, em Goiânia, esteja infectada pelo Ebola

A paciente procurou a unidade de saúde logo após retornar de uma viagem a Moçambique, na África

O Ministério da Saúde divulgou nota na noite desta sexta-feira (1º/8) descartando a possibilidade de que a paciente internada no Hospital de Doenças Tropicais (HDT) com sintomas como vômitos e diarreia esteja infectada por Ebola. A paciente procurou a unidade de saúde logo após retornar de uma viagem a Moçambique, na África.

De acordo com a nota do MS, “os países acometidos pelo surto do vírus Ebola são Guiné, Libéria e Serra Leoa, todos situados na África Ocidental” e que “a paciente atendida no serviço de saúde de Goiânia não se enquadra em qualquer critério de suspeita dessa doença”.

O texto pontua também que a transmissão para outros continentes é considerada como pouco provável.

Confira na íntegra:

NOTA SOBRE EBOLA

O Ministério da Saúde informa que não há caso suspeito ou confirmado de Ebola no Brasil e o risco de transmissão para o país é considerado baixo. De acordo com os dados oficiais divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), os países acometidos pelo surto do vírus Ebola são Guiné, Libéria e Serra Leoa, todos situados na África Ocidental.

Desta forma, cabe esclarecer que a paciente atendida no serviço de saúde de Goiânia não se enquadra em qualquer critério de suspeita dessa doença.

O Ministério da Saúde recebe, diariamente, informações da Organização Mundial de Saúde (OMS) sobre a situação de circulação de vírus no mundo, inclusive o Ebola, além de quaisquer outras situações que possam se caracterizar como emergência de saúde pública.

Como o Ebola é transmitido pelo contato direto com sangue, secreções, órgãos e outros fluidos corporais de pessoas ou animais infectados, a transmissão para outros continentes é considerada como pouco provável. A OMS não recomenda quaisquer medidas que restrinjam o comércio ou o fluxo de pessoas com os países afetados.

ASSESSORIA DE IMPRENSA DO MINISTÉRIO DA SAÚDE

Deixe um comentário