Isaura Lemos afirma que definição do PCdoB sairá somente no domingo, com a convenção

Projeto do partido está diretamente ligado às chapas proporcionais, já que a deputada estadual quer garantir sua reeleição, eleger outros nomes para a Assembleia, e ainda emplacar dois comunistas na Câmara dos Deputados

isaura lemos_capa

Prestes a divulgar a composição completa da chapa puro sangue, o PT goiano caminha também para chegar sem coligação no pleito de 5 de outubro, ou, no máximo, com o PCdoB. Ganha força nos bastidores que o partido presidido pela deputada estadual Isaura Lemos possa seguir com a chapa peemedebista, o que ela nega, até que se dê a convenção do partido, no domingo (29). No mesmo rumo estariam PRTB, PPL e, possivelmente, o PTN. Enquanto isso, desde o final da manhã desta quinta-feira (26/6), a executiva estadual do PT se encontra reunida na sede estadual, no Setor Sul, quando deverá sair a definição quanto ao vice da chapa encabeçada por Antônio Gomide e cuja a senatoria ficará com a suplente de deputado Marina Sant´Anna, como noticiado na última quarta-feira.

Em entrevista ao Jornal Opção Online nesta manhã, Isaura Lemos garante que a sigla não tomou qualquer decisão e que o provável anúncio na sexta, de que seu partido estaria com Iris Rezende, é uma especulação. A convenção partidária da legenda será nesse domingo, a do PT na sexta-feira (27) e a do PMDB na segunda-feira (30). A decisão do PCdoB, assegura Isaura, será de todos os cerca de 700 delegados da legenda. A comunista reiterou, porém, que realmente deve ficar com o PMDB ou com o PT, já que no nacional apoiam a reeleição da presidente Dilma Rousseff.

Mas as entrelinhas da entrevista e do cenário podem apontar o rumo a ser seguido pelo PCdoB, cujo projeto local é justamente as chapas proporcionais. Isso foi apresentado como segundo fator de peso por Isaura, atrás somente do apoio à reeleição de Dilma Rousseff. Por esta ótica, somente o PT tem atualmente definição, visto que não possui coligação e além da chapa majoritária puro sangue, deve também ter proporcionais individuais –– caso não firme aliança com nenhum partido até a próxima segunda-feira (30), fim do prazo para a realização das convenções partidárias. “No PMDB ainda faltam definições. Não vamos nos precipitar”, analisa Isaura. Nesta quinta-feira, representantes do PCdoB devem se reunir com o PTN e o PRTB, partidos que, com a saída (conturbada) do peemedebista Júnior Friboi do processo eleitoral, ficaram órfãos de apoio nos dois sentidos.

Isaura Lemos quer garantir sua reeleição, mais a eleição para a Câmara federal de sua filha, a vereadora Isaura Lemos, e outro comunista também para deputado federal. “Vão ser lançados cerca de 20 nomes para a Assembleia Legislativa”, informa. A força política aumenta numa composição com a chapa encabeçada por Iris, que já reúne o DEM de Ronaldo Caiado (Senado) e o Solidariedade de Armando Vergílio (vice), favorecendo os chamados chapões proporcionais. Um chapão já está fechado nessa coligação, entre PMDB e DEM para a Assembleia Legislativa.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.