Iris Rezende mantém domínio sobre PMDB metropolitano

De olho em 2016, ex-prefeito da capital articula para que o deputado estadual Bruno Peixoto, de sua confiança, seja eleito em chapa única

Iris Rezende acompanha de perto eleição de diretório | Fotos: Fernando Leite/Jornal Opção

Iris Rezende acompanha de perto eleição de diretório | Fotos: Fernando Leite/Jornal Opção

As eleições do novo diretório do PMDB metropolitano parecem estar mornas, até mesmo porque o deputado estadual Bruno Peixoto deve ser mantido à frente do partido no próximo dia sábado (12). A calmaria é maior ainda após o ex-presidente da Câmara de Vereadores de Goiânia Clécio Alves desistir da pré-candidatura.

O clima ameno é fruto da articulação do ex-prefeito de Goiânia e ex-governador Iris Rezende. O líder tem mantido embaixo de suas asas não só o deputado — com quem se reuniu nesta terça-feira (8) –, mas também o vereador Denício Trindade, o secretário municipal Paulo Borges, e o vice-prefeito de Goiânia, Agenor Mariano. Todos integram a comissão provisória, presidida por Bruno.

Iris se reuniu com a bancada do PMDB da Câmara Municipal de Goiânia na semana passada, em seu escritório político. Quem organizou o encontro foi o deputado. Apenas Mizair Lemes Júnior não compareceu, pois estava no exterior. No fim do mês, Bruno também conversou com os vereadores por mais de uma hora no plenário da Casa.

Nesse mesmo dia, Clécio lançou-se pré-candidato ao diretório, mas recuou por influência do ex-prefeito. “Minha decisão foi para manter a união no partido. E o diretório será formatado para termos condições políticas de eleger Iris [em 2016]. Trabalho por isso, só depende dele”, afirmou.

Novos filiados

A avaliação interna é a de que Bruno merece ser eleito pelo número de novos filiados que tem trazido ao partido. Especialmente seu irmão, Welington Peixoto (sem partido), que vai assinar a ficha no sábado, após as eleições. Com ele, a legenda irista vai contar com sete integrantes na Câmara de Goiânia, dois vereadores a mais que o PSDB.

Apesar a filiação, Welington não vai poder integrar a executiva. “Para que isso acontecesse teria que me filiar 30 dias antes”, relata. Outro nome que deve ser confirmado nos quadros peemedebistas é o do suplente de vereador Joãozinho Guimarães (PRB).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.