Iris ignora CEI da Saúde e vereadores planejam pedido de impeachment

Prefeito segue afirmando que irá manter a secretária Fátima Mrué no cargo, mesmo com pedido de afastamento e indiciamento no relatório final 

Iris e Mrué: parceria segue firme | Foto: reprodução

A secretária municipal de Saúde Fátima Mrué foi indiciada na última sexta-feira (18/5) em três tópicos do relatório da Comissão Especial de Inquérito (CEI) que analisa irregularidades da Saúde municipal. Todos os vereadores votaram contra a titular da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Além disso, foi aprovado um pedido de afastamento contra Fátima.

Mesmo com os indícios, o prefeito Iris Rezende insiste em mantê-la no cargo. De acordo com o vereador Elias Vaz (PSB), relator da comissão, “se o prefeito não ouvir a aspiração da sociedade, e não só da comissão, ele perde as condições de continuar a frente da prefeitura”.

Elias, ao lado da vereadora Dra. Cristina Lopes (PSDB) e do vereador Jorge Kajuru (PRP), já anunciou um pedido de um impeachment contra o prefeito, caso ele realmente não afaste a secretária do cargo. O prazo final antes de tomarem qualquer medida é a próxima segunda-feira (21/5), quando será encerrada oficialmente a CEI.

“A Saúde piorou bastante com a gestão da secretária Fátima Mrué. Ele [Iris] insistindo nisso desconsidera uma posição majoritária dessa Casa e da sociedade. Não o fazendo, ele fica em uma situação muito difícil”, reclamou o relator.

Presidente da comissão, o vereador Clécio Alves (MDB), que desempatou a favor da retirada do nome do prefeito do relatório final, afirmou que o pedido de impeachment é uma possibilidade, mas ele tem uma posição já formada sobre a questão. “Trata-se de um prefeito no seu quarto mandato, com 60 anos de vida pública. Uma história limpa de realização, nunca teve uma macha sequer em sua trajetória. Entendo que a população não o reelegeu pela quarta vez por acaso. Tem que se pensar muito para se tomar uma atitude dessa”, explicou.

Deixe um comentário