“Iris está no comando direto ou indireto de Goiânia desde 2005”, lembra Dra. Cristina

Durante prestação de contas, vereadora rebateu argumento do prefeito, que alega situação difícil nas contas deixadas por seu antecessor

Vereadora Cristina Lopes (PSDB) | Aquivo

A vereadora Dra. Cristina Lopes (PSDB) lembrou, durante prestação de contas do prefeito de Goiânia, Iris Rezende (MDB), nesta segunda-feira (28/5), que é limitado o argumento levantado pelo emedebista de que encontrou a administração em situação financeira difícil.

“Iris está no comando direto ou indireto de Goiânia desde 2005. Então, quando fala de uma herança de dividas, fala de uma herança da qual participou. Sabia o que enfrentaria”, asseverou.

Durante a demonstração das finanças do município aos vereadores, o prefeito lembrou mais uma vez que decidiu “de última hora” ser candidato a prefeito em 2016 e que encontrou uma situação financeira difícil.

O que o prefeito não cita é que seu antecessor, o ex-prefeito Paulo Garcia (PT), havia sido seu vice na Prefeitura de Goiânia e seus aliados faziam parte da administração municipal, tendo rompido com o PT apenas no último ano da administração de Paulo Garcia.

Ao prefeito, Dra. Cristina ainda questionou sobre investimentos para o futuro da cidade e ações na área da Educação. Em resposta, o prefiro disse que “se debruça sobre todas as áreas”.

“Não tenho nada a esconder. Minha luta é diária e me debruço sobre todas as áreas. Agradeço a fala da vereadora e sempre agradeço aos observadores mais críticos porque ajudam muito. Mas tem que ser feitas com justiça. Temos que lembrar que são três poderes no País, as esferas estadual, federal e municipal. E estamos realizando, graças a Deus, um bom trabalho”, defendeu.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.