Iris chama BRT Norte-Sul de “trambolho de concreto” e quer alterar projeto

Prefeito de Goiânia disse que uma das principais obras de mobilidade da capital vai “violentar” Avenida Goiás 

Iris durante prestação de contas na Câmara | Foto: Larissa Quixabeira

O prefeito de Goiânia, Iris Rezende (PMDB), avisou aos vereadores que pretende alterar o projeto do BRT Norte-Sul — uma das principais obras e o maior investimento em mobilidade da história da capital, iniciada na gestão passada.

Segundo o decano peemedebista, não é preciso que haja integração entre Aparecida de Goiânia e a Região Norte da capital, pois o fluxo de ambas seria o mesmo: o Centro.

“Vamos violentar a Avenida Goiás se não se justifica tanto? […] Por que violentar a Praça Cívica com esse trambolho de concreto? Para que? Estragar o canteiro do Centro? Na minha opinião pessoal, teríamos que fazer dois BRTs: um da região Norte até a rodoviária e o outro nos ligando Aparecida”, disse ele durante a prestação de contas na Câmara.

Apesar do posicionamento controverso, Iris disse que ainda não há nada definido, que está em discussão junto ao setor produtivo e quer participação dos vereadores. “Temos que preservar o Centro… As futuras gerações não vão nos perdoar por isso”, arrematou.

A obra

Patrocinada pelo governo federal, a obra do BRT é um dos principais projetos da gestão do ex-prefeito Paulo Garcia (PT). O corredor exclusivo de transporte coletivo terá 21,8 quilômetros de extensão, do Terminal Cruzeiro do Sul, em Aparecida de Goiânia, até o Terminal Recanto do Bosque, na Região Noroeste de Goiânia. Serão 148 bairros atendidos, com expectativa de 120 mil usuários por dia.

Segundo o projeto, não somente vai mudar o transporte coletivo de Goiânia, mas também influenciará no aspecto urbanístico da cidade. As calçadas, por exemplo, serão refeitas, padronizadas com acessibilidade total dentro de critérios ambientais. A obra vai impactar na organização do trânsito e proporcionará mais segurança viária, já que todo o trecho receberá nova iluminação, sensores e câmeras de monitoramento com funcionamento 24 horas.

Orçado em R$ 242,4 milhões, este é o maior investimento em mobilidade urbana da história de Goiânia e deverá corrigir o desequilíbrio existente no sistema de transporte da capital, já que a maioria dos corredores da cidade é no sentido Leste-Oeste. O projeto prevê um corredor exclusivo e vai demandar a construção de três novos terminais (Correios, Rodoviária e Perimetral), além da reconstrução dos terminais Isidória e Recanto do Bosque, mais a adaptação do terminal Cruzeiro. Ao todo, serão 39 estações de embarque e desembarque com atendimento em 148 bairros de Goiânia e Aparecida de Goiânia.

A frota completamente nova será composta por 82 veículos, dos quais 30 serão articulados e outros 52 convencionais, capazes de transportar até 12 mil passageiros por hora em horário de pico. O Centro de Con­trole e Monitoramento será responsável pelo domínio dos horários das viagens nos terminais, supervisão da operação das linhas, entre outras atividades de inspeção operacional. Haverá, ainda, o serviço de informação eletrônica aos passageiros, segundo o projeto original.

A obra do BRT Norte-Sul estava prevista para ser entregue em março deste ano, mas foi postergada para o final de 2017 e, como não há orçamento, segue sem prazo para conclusão.

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Adalberto de Queiroz

Mais uma obra de “santa ingrácia” em Goyannia.

Adriano Francisco dos Reis

A inadequação do projeto atual do BRT NORTE SUL ao patrimônio paisagístico, histórico e urbanístico da Av Goiás e Praça Cívica, no centro de Goiânia, é algo que, como arquiteto e urbanista, venho denunciando nos últimos anos. O risco que corre o patrimônio foi denunciado por mim à CMTC ainda no ano de 2008. É possível uma solução técnica, arquitetônica e urbanística adequada, mesmo preservando a presença de um corredor de ônibus entre o Terminal Cruzeiro e o Recanto do Bosque. A adoção de ônibus de piso baixo, com portas em ambos os lados, por exemplo, daria a flexibilidade de… Leia mais

Rejane

Excelente comentário. O patrimônio histórico e Cultural de Goiânia está ameaçado. Temos q fazer algo para preservar o Centro .

Maria Ester

Otimo comentario Adriano Reis, é possivel sim menter o sentido do corredor exclusivo sem demolir o canteiro central. Basta que o veiculo individual deixe de ter prioridade! Outras feramentas também de podem ser rediscutidas como bem disse o colega! Afinal estamos falando de Iris e nesse quesito tudo é possivel ???