Investimentos em Goiás superam R$ 1,5 bilhão em 2015

Balanço da secretária da Fazenda mostra que, mesmo com ajuste fiscal, Estado conseguiu investir

Secretária da Fazenda, Ana Carla Abrão, durante entrevista ao Jornal Opção | Foto: Fernando Leite/ Jornal Opção

Secretária da Fazenda, Ana Carla Abrão, durante entrevista ao Jornal Opção | Foto: Fernando Leite/ Jornal Opção

O governo do Estado investiu, em 2015, mais de R$ 1,5 bilhão de reais. É o que mostra um balanço realizado pela Secretaria da Fazenda (Sefaz) disponibilizado com exclusividade ao Jornal Opção.

O documento foi encaminhado pela secretária estadual da Fazenda, Ana Carla Abrão, ao governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), na última terça-feira (19/1).

Mesmo em meio à crise econômica que assolou o País no último ano e ocasionou, inclusive, redução drástica nos repasses do governo federal, a administração do tucano conseguiu manter o volume de investimentos.

Em entrevista à reportagem, Ana Carla sustenta que o dado é extremamente positivo em um ano tão incerto como o que passou. “Sempre falamos isso, que Goiás não parou. Mesmo com o ajuste fiscal, mesmo com os cortes de gasto, conseguimos fazer com que os serviços básicos fossem prestados com qualidade e a economia aquecida, girando”, comemora.

O valor bilionário engloba todo tipo de aplicação do governo em todas as áreas de interesse social — excluindo, claro, pagamento de folha do funcionalismo e do custeio da máquina. O dado leva em conta, ainda, os investimentos feitos por todas as três esferas do Poder.

Um ponto exaltado pela secretária é a fonte dos recursos: parte deles veio do Tesouro Estadual, ou seja, do próprio governo. “A posição do governo federal foi clara no ano passado: contingenciamento total. Investimos com recursos do Tesouro, operações de créditos e um pequeno financiamento que restou de 2014”, conta.

Foram R$ 750 milhões de saldos de empréstimos, R$ 215 milhões do Tesouro Estadual, R$ 300 milhões de empréstimos (liberado no fim do ano) e R$ 235 milhões dos outros poderes independentes.

Para Ana Carla, 2016 começa melhor que 2015. Isso porque o Estado “fez o dever de casa” e está melhor preparado: “Conseguimos estancar a queda na receita e equalizar os gastos. O ajuste continua, mas temos maior estabilidade”.

Comparativo

Mesmo com o saldo positivo de investimentos, a secretária fez questão de demonstrar a situação crítica pela qual passa o País: para se ter ideia, em 2014, foram quase R$ 4 bilhões de reais em investimentos — sendo que grande parte do montante veio do governo federal.

“60% a menos de recursos para investimento no Estado. É a prova de como 2015 foi um ano delicado para a economia do País”, arremata.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.