Impedido de fazer perguntas a Bolsonaro, jornalista se demite ao vivo

Candidato do PSL teria dito que só responderia perguntas do apresentador do programa de rádio

Foto: Reprodução

Ao ser impedido de fazer perguntas a Jair Bolsonaro (PSL) no programa Bom Dia, da Rádio Guaíba (RS), o jornalista Juremir Machado da Silva pediu demissão ao vivo. O candidato à presidência concedia entrevista ao programa transmitido nesta terça-feira (23/10).

O apresentador Rogério Mendeslki guiava a entrevista. Quando Bolsonaro respondeu à última pergunta, o apresentador disse que, a pedido do candidato, apenas ele, Mendelski poderia lhe fazer perguntas.

“O silêncio de vocês foi uma condição do candidato, que queria conversar com o apresentador”, disse Mendelski. Além dele, outros três jornalistas estavam no estúdio. Entre eles, Juremir, que perguntou: “Nós podemos dizer que o candidato nos censurou?”.

O apresentador disse que não e afirmou que o candidato nem sabia que haveria mais jornalistas no estúdio. O jornalista, então, manifestou seu incômodo com a situação e anunciou sua saída do veículo.

“Eu achei humilhante e por isso estou saindo do programa. Foi um prazer trabalhar aqui dez anos”, disse Juremir, que se levantou e foi embora. Jurandir Soares, que também estava no estúdio, disse que entendia o que foi estabelecido pelo entrevistado.

Voltaire Porto era o terceiro jornalista que participava do programa. Perguntado pelo apresentador se também entendia a condição, disse: “Preciso trabalhar também, preciso do emprego”.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.