Iminência de protestos não preocupa líder de Paulo Garcia

Paulo Garcia vai apresentar dados do último quadrimestre aos vereadores. Momento é de previsão de cortes de gastos e benefícios com a nova reforma administrativa

Carlos Soares é líder do  prefeito Paulo Garcia na Câmara | Foto: Alberto Maia/Câmara de Goiânia

Carlos Soares é líder do prefeito Paulo Garcia na Câmara | Foto: Alberto Maia/Câmara de Goiânia

A iminência de protestos e pressão por dos servidores públicos municipais durante a prestação de contas do prefeito Paulo Garcia (PT) na Câmara de Vereadores na próxima segunda-feira (13/4) não preocupa o líder do governo na Casa, Carlos Soares (PT).

Diferente das duas sessões extraordinárias anteriores, a reunião será no plenário, mais espaçoso para vereadores, assessores, imprensa e a população. Antes, os encontros ocorriam na sala de reuniões da Comissão Mista, presidida atualmente por Thiago Albernaz (PSDB).

“As perguntas serão as mesmas, nada de extraordinário. O que teremos é mais conforto. Mas também não espero perguntas floridas, serão duras. Os vereadores [da oposição] não brincam de perguntar”, avalia Carlos Soares, em entrevista ao Jornal Opção Online neste sábado (11).

O líder do prefeito espera a apresentação de dados que mostrem a recuperação financeira da prefeitura. “E acreditamos na objetividade e clareza de Paulo Garcia. E a reforma se faz necessária para o equilíbrio financeiro.”

Carlos ainda prevê que perguntas relacionadas à reforma administrativa vão desviar o foco da prestação de contas do último quadrimestre de 2014.

Mudança

A iniciativa de mudança na realização da prestação de contas partiu do presidente da comissão, Thiago Albernaz. “É preciso aprofundar nesse debate sobre as soluções para a cidade a fim de se encontrar saídas para uma das mais graves crises de sua história, por isso queremos a participação de todos os vereadores, da imprensa e da população”, explicou o tucano.

A oposição acredita que a participação popular pode gerar um cenário desconfortável. Nesta semana, professores da rede de ensino público realizaram manifestação em frente ao prédio do prefeito, no Setor Bueno.

O ato foi organizado pelo Sindicato Municipal dos Servidores de Educação de Goiânia (Simsed), que vão deflagrar greve geral a partir da próxima terça-feira (14).

Deixe um comentário