Igreja veta aparição do Cristo Redentor em filme que exalta o Rio de Janeiro e história de Wagner Moura é cortada

A justificativa da Cúria Metropolitana do Rio de Janeiro para o veto, anunciado em abril, é que a cena em questão seria uma “injúria contra o Cristo Redentor”

rio1A censura artística parece estar em voga nos últimos dias. Depois que um quadro foi retirado de um museu de Londres, na Inglaterra, para supostamente “proteger adultos e crianças“, a produção do filme “Rio, Eu Te amo” anunciou nesta quarta-feira (16/7) que um dos curtas da obra ficará de fora da versão final porque a Cúria Metropolitana do Rio de Janeiro vetou a aparição do Cristo Redentor no curta.

De acordo com a produção, a história “Inútil paisagem”, dirigida por José Padilha (Tropa de Elite 1 e 2, Robocop, Ônibus 174), o personagem interpretado por Wagner Moura é um homem em crise que, durante um voo de asa delta, usa a estátua do Cristo como interlocutor para extravasar seus pensamentos. Como o monumento é parte fundamental da obra, os produtores não viram outra saída que não fosse cortar o filmete. A justificativa da Cúria para o veto, anunciado em abril, é que a cena em questão seria uma “injúria contra o Cristo Redentor”.

Pedro Buarque de Hollanda, da produtora Conspiração Filmes, afirmou à Folha de S. Paulo que o episódio é um atentado à liberdade de expressão. Segundo ele, foram feitas diversas tentativas de reverter a decisão da Cúria, mas não houve sucesso. “Não podemos entrar numa briga de anos na Justiça. A versão final tem que ser entregue aos distribuidores internacionais até agosto”, disse. Caso a obra fosse lançada com o trecho vetado, a produtora corria risco de ser alvo de processo.

“Rio, Eu Te Amo” é composto por nove histórias independentes (dez, se considerada “Inútil paisagem”) dirigidas e interpretadas por brasileiros e estrangeiros. Em comum, os curtas tem como cenário a Cidade Maravilhosa. A obra faz parte do projeto “Cities of Love”, que já produziu “Paris, Eu te Amo” e “Nova York, Eu te Amo”.

O  filme que retrata a cidade fluminense conta com diretores como Fernando Meirelles, Andrucha Waddington, John Turturro, Carlos Saldanha, Paolo Sorrentino, Guillermo Arriaga, Im Sang-soo, Stephan Elliotte Nadine Labaki. No elenco estão Harvey Keitel, Vincent Cassel, Rodrigo Santoro, Fernanda Montenegro, Jason Isaacs, Emily Mortimer, Vanessa Paradis, entre outros. A música-tema foi composta por Gilberto Gil especialmente para o longa, que estreia em 11 de setembro no Brasil.

A Cúria Metropolitana do Rio de Janeiro já havia protagonizado polêmica semelhante em 2010, quando exigiu indenização da Columbia Pictures pelo uso supostamente indevido do Cristo Redentor no filme “2012”, de Rolando Emmerich. Na produção, a estátua aparece sendo destruída, e sua imagem foi utilizada nas campanhas promocionais da produção.

C_Redentor

Uma resposta para “Igreja veta aparição do Cristo Redentor em filme que exalta o Rio de Janeiro e história de Wagner Moura é cortada”

  1. alessandro disse:

    O texto da cena era injurioso. … a liberdade de expressão é um valor importante, e o respeito a fé das pessoas também. … como a estátua pertence à cúria do rio, nada mais justo. ..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.