Idosa que assinou termo rejeitando a vacina morre de Covid

Prefeitura publicou nota sobre a morte mulher de 77 anos no Facebook e mostrou foto do termo de recusa ao ressaltar que a vacina não é obrigatória no Brasil

Uma mulher de 77 anos que havia assinado um termo de recusa para não tomar a vacina contra a Covid-19 morreu em consequência de complicações da doença no último domingo, 23. O caso ocorreu em uma pequena cidade no interior do Rio Grande do Sul.

Como a vacina contra a Covid-19 é somente “recomendada” pelo Ministério da Saúde e não obrigatória, a prefeitura de Esperança do Sul resolveu criar um termo de responsabilidade para registrar casos de pessoas que se recusam a receber o imunizante.

A prefeitura divulgou na página do Facebook, preservando os dados pessoais da paciente. A cidade de 2,8 mil habitantes tem até o momento 50 pessoas que assinaram o termo.

Confira a nota da Prefeitura no Facebook:

A Secretaria Municipal de Saúde de Esperança o Sul vem através desta nota informar e esclarecer a sua população, sobre a paciente de 77 anos que faleceu no último domingo, dia 23/05, em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus.

Como a vacina do Covid-19 é opcional e não obrigatória, a idosa optou por não ser imunizada, através da assinatura de um termo de recusa, medida sugerida pela Coordenadoria Regional de Saúde, este referido termo é assinado por todos os pacientes que decidem não tomarem a vacina.

Sabe-se que hoje as vacinas existentes não protegem 100% a pessoa imunizada de se contaminar, porém previnem que a doença evolua para os casos mais graves, onde exigem internações e que podem levar ao óbito.

Abaixo disponibilizamos uma imagem do modelo deste termo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.