Hospital estadual em Goiânia terá ambulatório para atender transexuais

HGG deve implantar, ainda este ano, ao menos seis novos serviços na unidade

Fachada do HGG | Foto: divulgação

A Secretaria Estadual de Saúde (SES) anunciou nesta semana que, ainda no ano de 2017, deve implantar ao menos seis novos serviços no Hospital Alberto Rassi (HGG), na capital. Entre as novidades, está a criação de um ambulatório de transexualidade na unidade, que deve contar com serviços hospitalares e ambulatoriais.

Segundo informações da pasta, o ambulatório, ainda sem uma previsão para inauguração, terá profissionais preparados para atender a população trans, com atendimento hospitalar e também psicológico.

Além do ambulatório de transexualidade, a pasta deve implantar no HGG também serviços de ginecologia e mastologia; de atenção aos pacientes portadores de hérnias abdominais complexas; de transplantes renais (já em funcionamento); além de mais dois ambulatórios para portadores de doenças raras e para reabilitação cardíaca.

“A tendência é otimizar toda a estrutura e capacidade da rede própria estadual para melhor assistir os nossos pacientes”, explica o secretário estadual de Saúde, Leonardo Vilela.

Na manhã desta quinta-feira (6/4), a pasta já assinou Termo de Cooperação Técnica, juntamente ao Instituto de Desenvolvimento Tecnológico e Humano (Idetech) e ao Instituto de Gestão e Humanização (IGH), para realização de cirurgias, no HGG, de crianças menores de 14 anos atendidas pelo Hospital Materno Infantil (HMI).

O objetivo é favorecer o atendimento de pacientes que antes não eram contemplados pelo HMI, tendo em vista limitações relativas ao perfil da unidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.