Homicídios têm nova queda em setembro

Dados da Secretaria de Segurança Pública apontam redução em dez modalidades de crimes em Goiás

Secretário interino de Segurança Pública

Secretário interino de Segurança Pública

Relatório divulgado nesta terça-feira (4/10) pelo Observatório da Segurança Pública da Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP) aponta queda nos índices de crime no Estado.

A comparação entre setembro deste ano e o mesmo período de 2015 aponta que, das 12 modalidades criminais de alta prioridade, dez apresentaram redução.

Casos de homicídio, por exemplo, tiveram queda de 8,26%. Tentativas de homicídio regrediram 22,26%. Também apresentaram redução os crimes de latrocínio (-18,75%); roubo a transeunte (-3,28%); roubo de veículos (-9,78%); roubo em comércio (-8,40%); furto de veículos (-12,7%); furto em comércio (-24,72%); furto em residências (-0,87%); e furto a transeunte (-40,64%). Estupros e roubos em residência foram os únicos que apresentaram oscilação positiva.

De acordo com o secretário em exercício de Segurança Pública e Administração Penitenciária, Coronel Edson Costa Araújo, a melhora é reflexo das ações de inteligência aliadas ao trabalho ostensivo das forças polícias goianas.

“Nossas forças de segurança combatem o crime com extrema dedicação. Essa redução comprova que estamos no caminho certo. As polícias goianas nos enchem de orgulho”, avalia.

Goiânia e Aparecida
Em Goiânia, o número de homicídios teve queda de 25,45%. Houve ainda redução nos casos de furtos a transeuntes (-40,37%); furtos em comércio (-33,84%); furtos de veículos (-29,77%); estupros (-28,57%); roubos de veículos (-19,91%); tentativas de homicídios (-11,94%); roubos a transeuntes (-10,45%); e furtos em residências (-8,4%). Latrocínios mantiveram-se estáveis. Únicos crimes que apresentaram oscilação positiva foram roubos ao comércio e roubos em residências.

Aparecida de Goiânia apresentou queda em todos os indicadores de criminalidade considerados como alta prioridade. Homicídios cederam 14,28%, estupros 50% e tentativas de homicídio 26,32%. Latrocínios tiveram queda de 50%. Também apresentaram queda os crimes de roubo a transeuntes (-14,54%); roubos de veículos (-18,14%); roubos em comércios (-57,89%); roubos em residências (-46,99%); furtos de veículos (-50%); furtos em comércio (-7,69%); furtos em residências (-24,91%) e a transeuntes (-50%).

As informações são da SSPAP.

Anápolis

Em Anápolis, o número de homicídios apresentam queda há quatro meses consecutivos. Foram 19 casos em junho, 12 em julho, 11 em agosto, e, apenas sete casos em setembro. Na comparação com setembro do ano passado, a queda foi de 30%. As tentativas de homicídios seguem com a mesma tendência de queda. Após registrar 20 casos em junho, recuou, respectivamente, para 8, 7 e 6 casos nos meses seguintes.

No mesmo comparativo, houve redução nos roubos de veículos (-28,3%), roubos em comércios (-27,78%), roubos em residências (-42,31%). Os furtos de veículos caíram 50,82%, enquanto, os furtos em comércios e a transeuntes diminuíram, respectivamente, em 26,32% e 41,67%.

Oscilaram positivamente os estupros, que em setembro do ano passado registrou 1 caso, ao passo que no mês passado foram quatro registros. Os roubos a transeuntes aumentaram em 13,21% e os furtos em residências, 2,4%.

Homicídios no ano

No acumulado do ano – entre janeiro e setembro –o índice registrado em 2016 é 4,18% menor do que o registrado no mesmo período do ano passado. Na Capitala queda é de 17,03%. Do mesmo modo, Aparecida de Goiânia teve retração de 17,03% nos homicídios.No Entorno do Distrito Federal, o recuo nos homicídios foi de 0,19%. “Integração entre forças policiais tem sido fundamental na redução da criminalidade”, argumentou.

Ainda nesta terça-feira (4/10), o secretário em exercício de Segurança Pública e Administração Penitenciária, coronel Edson Costa, esteve reunido com coordenadores das Redes e Áreas Integradas de Segurança Pública (Risp e Aisp), bem como diretores e comandantes de unidades especializadas. Na ocasião, além de avaliar os resultados do último trimestre, foram traçadas as metas para os próximos três meses.

Também estiveram presentes o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Divino Alves; o delegado-geral da Polícia Civil, Álvaro Cássio; o comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Carlos Helbingen Júnior; e a superintendente de Polícia Técnico-Científica, Rejane Barcelos; além de outras autoridades da área da segurança pública.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.