Homem usa atestado médico falso para folgar no réveillon e acaba indiciado pela polícia

Rapaz vai responder pelo crime de uso de documento público falso, cuja pena pode chegar a até 6 anos de prisão, e multa

Homem que apresentou atestado médico falso para folgar e curtir o réveillon acabou tendo que se explicar na delegacia. A Polícia Civil não divulgou o nome do trabalhador que apresentou o documento falto, mas informou que ele foi indiciado e pode acabar preso.

Segundo a Polícia Civil, o empregador desconfiou da autenticidade do documento apresentado no dia 30 de dezembro de 2021. Assim ele procurou a delegacia de polícia. O atestado médico entregue continha timbre da Unidade de Pronto Atendimento e carimbo de médico, mas não sua assinatura, além de outras inconsistências.

A falsidade documental ficou evidente com as investigações. O médico cujo carimbo foi aposto ao documento afirmou que não atende na UPA há cerca de 7 anos e que não atendeu aquele paciente. Inclusive, que na data do suposto atendimento, estava fora da cidade. Até mesmo o número do CRM estava errado, pois, continha um dígito a mais no final.

Outros elementos confirmaram a falsidade, a exemplo da diferença de tons de cor na impressão do documento e da diferença do modelo apresentado para o modelo-padrão de atestado médico da UPA. Ademais, a unidade de saúde informou que o suspeito não recebeu nenhum atendimento médico naquela data.

O homem confessou que apresentou o atestado médico no setor de recursos humanos da empresa, contudo não forneceu mais detalhes do fato, optando por permanecer em silêncio no resto do interrogatório.

Diante do apurado, o homem foi indiciado pelo crime de uso de documento público falso, cuja pena pode chegar a até 6 anos de prisão, e multa.

No vídeo o delegado explica o caso policial:

https://youtu.be/ecoSmJ-x7SQ

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.