Homem que ejaculou em mulher é preso novamente pelo mesmo motivo em SP

Diego Novais, de 27, já tinha 15 passagens pela polícia por atos semelhantes, mas foi solto nesta semana porque juiz entendeu que não houve estupro

Foto: Reprodução PC

Causou polêmica durante a última semana o caso de um homem que ejaculou em uma passageira de ônibus em São Paulo, na última terça-feira (29/8). Mesmo tendo sido preso em flagrante e indiciado por estupro, além de ter 15 passagens por crimes sexuais, Daniel Novais, de 27 anos, foi solto pela Justiça.

Na sentença, o juiz José Eugenio do Amaral, do Tribunal de Justiça de São Paulo, declarou não entender que houve constrangimento e violência no ato e que, portanto, o que ele fez deveria ser caracterizado como contravenção penal. Para ele, o ato seria de “importunar alguém em local público de modo ofensivo ao pudor”.

Só que na manhã deste sábado (2/9), ele foi novamente preso pelo mesmo motivo, no centro de São Paulo. Em passagens anteriores, Daniel havia sido preso por atos como esfregar o pênis em mulheres e em adolescentes, mostrar a genitália a pessoas na rua e se masturbar perto delas.

Nos dois casos, ele foi contido por outros passageiros e pelos motoristas, que fecharam as portas até a chegada da polícia. Na mesma semana, outra situação do tipo foi registrada em São Paulo, quando um homem passou as mãos nos seios de uma passageira.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.