Homem preso no interior de Goiás será investigado por assassinatos em série

Ele se encaixa na investigação por ter uma motocicleta preta e sua fisionomia é semelhante à descrita pelas vítimas. Ele é acusado de roubar padarias na região e tem 12 passagens pela polícia por roubo e tráfico de drogas

Um homem preso neste sábado (9/8) pelos policiais da Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (Rotam), em São Luiz de Montes Belos, a 120 km de Goiânia, vai ser investigado como possível envolvido na série de assassinatos de mulheres na capital. Segundo informações da Polícia Civil, o homem de 27 anos tem uma motocicleta preta, como a utilizada pelo suposto serial killer, e sua fisionomia é semelhante à descrita pelas vítimas. Ele era procurado pela polícia por roubo de padarias na região.

O veículo do investigado foi localizado desmontado na casa de familiares dele, em Goiânia, e era utilizada para praticar os assaltos. O tenente da Polícia Militar (PM) José Alberto Cortez declarou que a moto estava desmontada e que, provavelmente, as peças estavam prontas para serem vendidas separadamente.

“Tanto as características físicas como a utilização da própria motocicleta e a forma de atuação se assemelham muito com algumas informações colhidas pela Polícia Militar”, disse o tenente. O suspeito confessou o furto nas padarias, mas negou qualquer envolvimento com a morte das mulheres em Goiânia.  Ele tem 12 passagens pela polícia pelos crimes de roubo e tráfico de drogas. O suspeito foi apresentado à força-tarefa da Polícia Civil, que está focada nas investigações de homicídios contra mulheres.

Homicídios

Recentemente o governo do Estado criou uma força-tarefa da Polícia Civil para investigar os crimes. Participam deste grupo 16 delegados, sendo nove da DIH, três que atuam em outras delegacias e outros três do interior.

Outra medida do governo foi reforçar o contingente da Polícia Militar (PM) com cerca de 600 policiais voluntários. Os policiais irão atuar nos setores Central, Jardim Novo Mundo, Jardim Guanabara, Pedro Ludovico, Finsocial, Norte Ferroviário, Real Conquista e Conjunto Tropical, considerados pela polícia como as mais violentas do capital.

A possibilidade de um criminoso do tipo estar solto pelas ruas da cidade foi parar nas redes sociais, o que gerou boatos, falsas denúncias e informações desencontradas. A família de uma das 13 vítimas está oferecendo recompensa para quem der o paradeiro do homicida.

Neste sábado (9), será realizada uma manifestação pedindo a resolução dos casos, que ganharam repercussão nacional nesta semana.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.