Homem mais rico do Brasil é o 9º mais rico da Europa

Suíço-brasileiro Jorge Paulo Lemann tem fortuna estimada em 26,77 bilhões de euros (cerca de R$ 100,39 bilhões) em 2017

Foto: reprodução/ Facebook

O dono da maior fortuna do Brasil é, também, o nono mais rico da Europa em 2017. O suíço-brasileiro Jorge Paulo Lemann (nascido no Rio de Janeiro, em 1939), figura no ranking elaborado pela revista “Bilan” (publicação suíça sobre economia). As informações são do portal UOL.

A fortuna de Lemann é estimada em 26,77 bilhões de euros (cerca de R$ 100,39 bilhões) em 2017, segundo a revista. Lemann é dono de empresas conhecidas mundialmente, como a cerveja Budweiser, o Burger King e a Heinz. No Brasil, ele é sócio da Ambev, dona das cervejas Brahma, Skol e Antarctica, entre outras empresas.

Em abril, a revista “Forbes” listou Jorge Paulo Lemann como a 24ª pessoa mais rica do mundo. É o homem mais rico do Brasil e o segundo mais rico da Suíça.

Ex-tenista profissional, Jorge Paulo Lemann é um ativista da área de educação. Formado em Economia pela Universidade Harvard, ele é fundador da Fundação Lemann, organização sem fins lucrativos criada em 2002, com o objetivo de melhorar a qualidade da educação pública no Brasil através de diversos projetos, com foco em garantir o aprendizado dos alunos.

Na reportagem da revista “Bilan”, o dono da Zara, o espanhol Amancio Ortega, é o mais rico da Europa. Segundo a publicação, o fundador e presidente do grupo têxtil Inditex, dono da marca Zara, entre outras, tem fortuna avaliada em 73,09 bilhões de euros (cerca de R$ 274,09 bilhões).

Em segundo lugar vem o francês Bernard Arnault, proprietário do conglomerado de moda de luxo LVMH, dono da Louis Vuitton, que subiu três posições e possui uma fortuna de 46,59 bilhões de euros (R$ 174,81 bilhões).

Em seguida vem a família Kamprad, dona da rede de móveis Ikea, com fortuna estimada em 39,55 bilhões de euros (R$ 148,39 bilhões). No quarto lugar vem a herdeira do grupo francês de produtos cosméticos L’Oréal, Liliane Bettencourt, com 36,55 bilhões de euros (R$ 137,14 bilhões).

A lista da “Bilan” é dominada por alemães, que controlam ou têm participação em empresas como as automobilísticas BMW e Porsche, a de consumo Henkel e as de supermercados Aldi e Lidl. Também há multimilionários russos dos setores de matérias-primas e aço. A Alemanha lidera com 27 representantes, seguida pela Rússia, com 16, a França, com 14, e a Itália, com 10.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.