Hackatona chega ao fim e premia ideia empreendedora

Projeto do governo de Goiás reuniu 80 grupos de startups goianas para maratona hacker. Objetivo é aumentar transparência da administração 

Marcelo Tas participa de evento na Vila Cultural Cora Coralina

Marcelo Tas participa de evento na Vila Cultural Cora Coralina

Após mais de 50 horas de trabalho das várias equipes na disputa, a startup goiana EmpreendeGO conquistou o primeiro lugar na Hackatona Let’s GO (Líderes, Empreendedores e Talentos a Serviço de Goiás).

A ideia desenvolvida pelo grupo pretende criar uma ferramenta (aplicativo ou site) que possibilite a identificação das potencialidades regionais do Estado de Goiás. “Com isso, será possível atrair investidores para cá”, explica a empreendedora Renata Alves, uma das componentes da startup.

“Vejo todas as ideias selecionadas como com boa possibilidade de se tornarem ferramentas a serem utilizadas no futuro pelo governo. Podemos, com certeza, nos encaixarmos como clientes dessas startups. Vai depender, é claro, do desenvolvimento das ideias a partir de agora, durante o período de incubação”, explica o secretário de Gestão e Planejamento de Goiás, Thiago Peixoto.

Apoiador do evento, o vice-governador José Eliton, idealizador do Inova Goiás, disse que o esforço no sentido da transparência é uma marca do atual governo.

“O acesso da população às informações produzidas pelos diferentes órgãos públicos é fundamental para a promoção da cidadania e também para consolidar a transparência na gestão pública, e, nesse sentido, o evento da Segplan, o Let’s Go​,​ com sua maratona de hackers para desenvolver startups cívicas, contribui para criar condições extremamente favoráveis a isso”, destacou.

A Segplan é a idealizadora e realizadora do Let’s GO, que conta com o apoio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SED), por meio do programa Inova Goiás, e da Controladoria Geral do Estado (CGE).

“Nossa intenção, com essa iniciativa, é tornar os dados públicos mais acessíveis à população em geral. Hoje, não temos dúvidas de que somos transparentes, mas também precisamos pensar na usabilidade do sistema”, acrescenta Thiago Peixoto.

A hackatona recebeu mais de 120 inscrições, das quais 80 foram selecionadas e mais de 50 pessoas se apresentaram na Vila Cultural Cora Coralina, no Centro de Goiânia, na noite de sexta-feira. Foram apresentados três desafios aos grupos (focados em transparência, gastos públicos e investimentos) e surgiram, de início, 25 ideias, das quais sete foram selecionadas e adotadas pelos grupos.

As startups romperam madrugadas, manhãs, tardes e noites deste a última sexta-feira para desenvolver suas ideias e torná-las mais viáveis. O julgamento foi na tarde do último domingo.

Como prêmio, o EmpreendeGO, grupo vencedor, recebeu seis meses de incubação, em parceria com a Rede Goiana de Incubação, uma visita ao Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados), a maior empresa pública de prestação de serviços em tecnologia da informação do Brasil, além de bolsas de estudo Empretec, que, promovido pelo Sebrae, é considerado uma das principais soluções para contribuir com o desenvolvimento de características do comportamento empreendedor.

A segunda colocação da hackatona ficou com a startup LiCidadão, que tem como objetivo principal tornar as licitações do governo mais transparentes, permitindo o cidadão a fazer comparação com o preço de mercado. Assim, a sociedade pode cobrar e o governo se justificar. Na terceira posição, ficou a startup Med GO, que quer otimizar o acesso à saúde pública, equilibrando a demanda dos postos de saúde ao encaminhar o cidadão à unidade de atendimento com o menor tempo de espera mais próxima.

Todos os ganhadores receberam seis meses de período de incubação, por meio dos quais poderão desenvolver suas propostas para torná-las viáveis no mercado. Ao todo, sete grupos apresentaram ideias inovadoras que podem aproximar governo e sociedade, contribuindo também para tornar o Estado ainda mais transparente.

O superintendente executivo de planejamento da Segplan, Thiago Camargo, agradeceu, em nome do Governo de Goiás, o empenho dos participantes da Hackatona. “É impressionante ver o quanto tem gente disposta a contribuir com o governo de forma voluntária. Alguns dos produtos que surgiram aqui tem um ótimo potencial”, declarou.

Além de estimular o cidadão a propor soluções em desafios públicos que envolvam transparência na contratação de produtos e serviços e mecanismos mais intuitivos para acesso facilitado às despesas do Estado, o evento também abriu para os participantes todos os dados de arrecadação e despesas na gestão pública estadual.

Palestras

A hackatona, que chegou ao fim na noite de domingo e cuja premiação foi entregue ontem, foi a primeira parte do Let’s GO. O evento prossegue com um ciclo de palestras e painéis voltados para questões como empreendedorismo, redes sociais, mídias digitais, inovação, ciência e tecnologia e as relações disso tudo com sociedade e gestão pública.

O primeiro palestrante foi o jornalista Marcelo Tas, ainda na noite de domingo. Ele falou sobre criatividade na era digital.

A programação inclui ainda nomes como Daniel Mangabeira (Uber), André Tamura (We Gov), Pablo Ribeiro (Endeavor), Denise Yagui (Fundação Brava), Gustavo Maia (Colab.re), Juliana Sakai (Transparência Brasil), Fernando Sandes (Onde Fui Roubado), Anderson Giovani (Seminário Social Good) e Ronaldo Lemos (ITS Rio e Globonews). O Let’s GO vai até a terça-feira (15/12).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.