Grupo reflexivo para autores de violência doméstica é lançado em Anápolis

Encontros semanais em várias cidades do Estado têm como objetivo diminuir a reincidência de casos em que mulheres são agredidas por homens dentro de casa

O Grupo Reflexivo para autores de violência doméstica foi lançado no fórum da comarca de Anápolis. O objetivo da ação é que homens acusados de praticar violência doméstica se conscientizem a respeito de questões de gênero.

Os autores dos crimes incursos na Lei Maria da Penha serão obrigados a participar de reuniões como uma das medidas que condicionam suas liberdades. Os encontros serão feitos semanalmente e a intenção é produzir um efeito ressocializador no autor do crime.

O projeto, que é uma parceria do Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO) com a Secretaria Cidadã,  começou em Goiânia e hoje conta com sete grupos no total, realizados no CAP (Central de Alternativa à Prisão) e no CREI (Centro de Referência Estadual da Igualdade). Além da capital, o projeto se expandiu para cidades como Anápolis, Ipameri Aparecida de Goiânia e Águas Lindas.

O assessor jurídico da Secretaria Cidadã, José Geraldo Veloso Magalhães, que também é coordenador geral dos grupos reflexivos para autores de violência doméstica no Estado de Goiás, diz que “os grupos reflexivos são um benefício, e não uma penalidade”. “Para todos participantes, o procedimento é o mesmo e, em caso de descumprimento da medida protetiva, o participante pode até ser preso.” Em todos os encontros uma frequência é assinada e os dados encaminhados à Justiça para acompanhamento. Segundo José Geraldo, ali são inseridos homens que se enquadram nas cinco formas de violência citadas na Lei Maria da Penha, como moral, física e psicológica.

Estiveram presentes na solenidade de lançamento em Anápolis, o corregedor-geral da Justiça de Goiás, desembargador Walter Carlos Lemes; a desembargadora Sandra Regina Teodoro Reis; o juiz auxiliar da Corregedoria, Murilo Vieira de Faria; o diretor do Foro da comarca de Anápolis, juiz Ricardo Silveira Dourado; a secretária Cidadã, Onaide Santillo; a superintendente executiva da Mulher e da Igualdade Racial do Estado de Goiás, Gláucia Maria Teodoro Reis, e autoridades policiais envolvidas no combate à violência contra a mulher.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.