Grupo de professores da UFG deflagra greve nesta sexta-feira

Mobilização, entretanto, não é reconhecida por entidade sindical da categoria, nem pela própria universidade

Divulgação/Facebook

Divulgação/Facebook

Um grupo de professores da Universidade Federal de Goiás (UFG), reunido na tarde desta sexta-feira (2/12), votou a favor da deflagração de greve na instituição em protesto à aprovação da PEC dos gastos públicos.

A mobilização, entretanto, não é reconhecida pelo Sindicato dos Docentes das Universidades Federais de Goiás, Adufg Sindicato. Ao Jornal Opção, a assessoria da central informou que a greve é ilegal e não representa os interesses da categoria.

No último mês, o sindicato promoveu uma consulta eletrônica com os docentes para tratar do tema. O resultado do plebiscito realizado de 10 a 18 de novembro com participação de mais de mil professores filiados e não filiados foi contrário à deflagração da greve.

Chamada de “independente”, a assembleia que ocorreu nesta sexta no auditório da Faculdade de História reuniu dezenas de professores. Em um texto publicado no evento da reunião criado no Facebook, o grupo afirma que o sindicato da categoria se recusa a cumprir seu papel jurídico e, por isso, resolveu convocar uma assembleia à parte.

Procurada, a assessoria da UFG informou que não tomou conhecimento sobre a assembleia, mas reiterou o posicionamento da Adufg.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.