Governo Temer não planeja aumentar impostos, diz ministro

Romero Jucá, do Planejamento, se reuniu com o presidente interino e equipe econômica no último sábado

Ministro Romero Jucá:  sem aumento de impostos | Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Ministro Romero Jucá: sem aumento de impostos | Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O ministro do Planejamento, Romero Jucá (PMDB-RR), assegurou que não há previsão de aumento de impostos em curto prazo. A declaração veio no último sábado (22/5), após se reunir com o presidente interino, Michel Temer (PMDB), em São Paulo.

Jucá, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (PSD), e o secretário executivo do Programa de Parcerias de Investimentos, Moreira Franco (PMDB), passaram a tarde com Temer finalizando o pacote de medidas para aumentar a arrecadação e reduzir as despesas públicas, que deve ser anunciado na próxima semana.

“Quem pode definir isso é o presidente da República. No curto prazo, não está no horizonte o aumento de impostos. Vamos começar a operar medidas que minorem essa dificuldade até fazermos essa travessia para outro tipo de situação, que é a ideal: equilíbrio fiscal, geração de emprego, crescimento econômico, enfim, credibilidade, estabilidade e segurança jurídica”, resumiu o ministro do Planejamento.

Recuo

A afirmação vem duas semanas após o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (PSD), ter dito que o governo do presidente interino Michel Temer (PMDB) pode, sim, lançar mão de novos impostos, como a própria CPMF, para auxiliar no equilíbrio fiscal

Segundo ele, a economia precisa voltar a crescer de forma sustentável, portanto, é importante que a meta seja a diminuição dos tributos para a população. Mas, em um primeiro momento, ou “de forma temporária”, o governo pode manter a proposta apresentada pela presidente afastada, Dilma Rousseff (PT), de recriar a Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) — proposta que foi veementemente rejeitada por congressistas e até governadores.

Meirelles assegurou, ainda, que a nova equipe econômica está preparada para tomar “as medidas necessárias” para fazer o País voltar a crescer. (Com informações da Agência Brasil)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.