Gustavo Sebba rebate afirmativa de Caiado sobre empresas que saírem do Estado, por conta do corte de incentivos fiscais, serem corruptas

“Governador não tem noção do que está falando”, diz deputado sobre incentivos
Deputado Gustavo Sebba (PSDB) | Foto: André Costa/Jornal Opção

O deputado estadual Gustavo Sebba (PSDB) comentou, ao Jornal Opção, a afirmação do Ronaldo Caiado (DEM) de que as “únicas empresas que realmente vão sair são as corruptas”, sobre debandada de entidades por conta do corte de incentivos fiscais. “Eu acho que o governador não tem noção do que está falando”, rebateu o parlamentar.

De acordo com o legislador, em vez de negociar, o governador dá uma declaração esdrúxula. “São empresas seríssimas e que estão no Estado pelos incentivos. Se alguma tem benefícios a mais, que chame e corte, mas não todas”, disse.

O parlamentar diz, ainda, que se há alguma empresa corrupta que se aponte e investigue. “É um desrespeito com o empresário e os trabalhadores”.

Incentivos

Segundo Sebba, graças à política de incentivos fiscais, Goiás tem 400 mil empregos.  “Temos um agro forte, nosso carro chefe, mas precisamos atrair empresas para gerar riquezas em emprego. Nós avançamos graças a isso [incentivos]”, defendeu.

Para o deputado, esta política ultrapassa partidos políticos, uma vez que já ocorre em sequência desde Leonino Caiado, que governou 1971 a 1975. “É uma medida que ele [Caiado] quer usar para aumentar caixa, mas só vai aumentar o desemprego. Ele não vai ter o resultado que acha que vai ter”.

Exemplo

Sebba, que defende a manutenção dos incentivos, exemplifica que a Mitsubishi, em Catalão, arrecada R$ 10 milhões ao município e gera 3 mil empregos. Com corte de incentivos em 50% (no setor automobilístico), ele afirma que a empresa deixará o Estado aos poucos. “Já demitiu 130 funcionários. Ia demitir mais 200, mas os manteve por um acordo”.

Por fim, Gustavo afirma que “é mais interessante trazer mais empresas”. “Mas está fazendo o contrário. Fazendo elas irem embora”, disse.