Governador do Ceará elogia hospitais geridos por Organizações Sociais em Goiás

De acordo com Camilo Santana (PT), a qualidade é maior nas unidades administradas por OSs, mas o preconceito ainda é muito grande com relação ao sistema de gestão

Governador de Goiás Marconi Perillo (PSDB), governador do Ceará Camilo Santana (PT) e o secretário estadual de Saúde Leonardo Vilela visitam Central | Foto: Laison Damasio

Governador de Goiás Marconi Perillo (PSDB), governador do Ceará Camilo Santana (PT) e o secretário estadual de Saúde Leonardo Vilela visitam Centro de Informações e Decisões Estratégicas da Saúde | Foto: Laison Damasio

O governador Marconi Perillo (PSDB) recebeu na manhã desta sexta-feira (26/2) o governador do Ceará Camilo Santana (PT), que esteve em Goiânia para conhecer como funciona a gestão dos hospitais estaduais por Organizações Sociais (OS) o modelo a ser implantado das escolas do Estado.

“Estou impressionado vendo o controle, a fiscalização, a qualidade do serviço e o atendimento na área de Saúde. Saio daqui muito impressionado com toda a percepção e visão de integração”, avaliou o governador petista Camilo Santana.

A comitiva cearense conheceu na sede da Secretaria Estadual de Saúde, o Centro de Informações e Decisões Estratégicas da Saúde – Conecta SUS Zilda Arns Neuman. As autoridades do Ceará também visitaram o Hospital de Urgência de Goiás (Hugo) e a Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (Seduce).

Na visita ao Conecta SUS, Marconi recepcionou Camilo Santana. Em pouco mais de uma hora, o tucano explicou ao petista como funciona a gestão das OSs nos hospitais.

“A mudança que alcançamos na Saúde me orgulha. A implantação das OSs foi uma decisão que valeu a pena. O serviço de saúde pública teve um avanço na qualidade”, destacou o goiano.

A comitiva conheceu o funcionamento do sistema de telões com informações em tempo real da área da Saúde, como execução orçamentária e obras em andamento.

Os cearenses visitaram os leitos de enfermarias, Unidades de Tratamento Intensivo (UTI), refeitório e lavanderia do Hugo. “É uma experiência muito positiva. Talvez esta seja uma das áreas de maior desafio que os gestores do Estado brasileiros têm: garantir um atendimento da saúde de qualidade à população”, afirmou do governador do Ceará.

Camilo disse que o Ceará tem alguns hospitais geridos por OSs, mas não na mesma quantidade de Goiás. “A diferença em qualidade é enorme. Há um preconceito muito grande contra as OSs. Por isso trouxemos o Ministério Público e o Tribunal de Justiça para mostra os avanços significativos e de sucesso para que possamos implantar este modelo no nosso Estado.”

Educação

O modelo de gestão escolar por meio de Organizações Sociais (OSs) que o governo goiano quer implantar, com o primeiro chamamento público em andamento, desperta a atenção de outros estados, informou Marconi.

Camilo, depois de conhecer a gestão das OSs nos hospitais estaduais, teve audiência com a secretária estadual de Educação, Cultura e Esporte (Seduce), Raquel Teixeira, na sede da pasta. Raquel explicou desde o começou todo o processo adotado pela Seduce para as escolas estaduais.

A titular da pasta detalhou o edital de chamamento público para as OSs da área e os contratos de gestão que serão assinados. Raquel mostrou ao governador cearense que há uma diferença entre o edital e os contratos de gestão, com o conjunto de metas a serem cumpridas não só na parte financeira, mas com avanços na aprendizagem dos alunos.

Raquel lembrou que as OSs que participam do chamamento público não visam lucro, mas se incluem em um contexto que ela definiu como “governança participativa”

A titular da Seduce explicou como o governo separou as 40 regionais da Educação em 19 macrorregiões e o projeto piloto, que prevê a implantação do novo sistema de gestão em 20% das escolas estaduais.

Tesouro estadual, Salário Escola e Fundo de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep) são de onde virão os recursos para garantir a gestão financeira da administração compartilhada das escolas com as OSs, explicou Raquel ao governador visitante.

Ela garantiu que a eleição direta de diretores e autonomia dos conselhos escolares serão mantidas. A Seduce disse esperar ter uma economia de 30% com consumo de água e energia a partir da gestão compartilhada com as OSs.

“O modelo que estamos implantando está completamente de acordo com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação”, afirmou Raquel, que defendeu a busca por uma educação com menos burocracia e mais resultados no aprendizado dos alunos.

Documentos

A secretária entregou ao governador do Ceará cópias do processo burocrático para implantar o sistema de OSs nas escolas estaduais.

Além do governador Camilo Santana, a comitiva cearense era composta pelo presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Zezinho Albuquerque (Pros); procurador-geral de Justiça, Juvêncio Viana; presidente do Tribunal de Justiça, Edilberto Lima; secretário estadual de Saúde, Henrique Javi; secretário Educação, Maurício Holanda, e secretário da Casa Civil, Alexandre Landim. (Com informações do Gabinete de Imprensa)

Em vídeo, governador do Ceará elogia serviço oferecido nos hospitais estaduais geridos por OSs em Goiás:

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.