Governador afastado do Tocantins usava PM como ‘babá’ de sua filha

Carlesse é investigado por suspeitas de servidores fantasmas e de desvios de recursos da Saúde até a o uso da estrutura da Secretaria de Segurança Pública do Estado para fins privados

O governador afastado do Tocantins, Mauro Carlesse (PSL), é acusado de cometer uma série de infrações, como suspeitas de servidores fantasmas e de desvios de recursos da Saúde. No mais recente relatório da Polícia Federal, foi constatado que o ex-governador também chegou a usar policiais civis e militares como “babá” de sua filha caçula.

No relatório, o major da PM, José Roberto Carneiro Alves, relatou aos policiais federais que Carlesse tem duas policiais militares que “cuidam diariamente da filha do governador, acompanhando-a à escola, shopping e demais atividades rotineiras”.

Ainda segundo o novo relatório da PF, Carlesse também teria destinado uma investigação particular a Casa Militar. O major Rudson Barbosa, e mais dois militares, teriam tido a missão de descobrir quem eram os responsáveis pela divulgação de um vídeo com conversas e fotos íntimas de um suposto relacionamento extraconjugal da mulher do governador, Fernanda.

Afastado do cargo desde o dia 20 de outubro, a defesa de Carlesse disse que só irá se pronunciar sobre as recentes revelações, após terem acesso total aos autos.

*Com informações do Estadão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.