Goiás se prepara para vacinar crianças contra Covid-19 nas próximas semanas

Estipula-se, segundo o IBGE, que o Estado tenha cerca de 726.580 crianças

Após o Ministério da Saúde (MS) anunciar na quarta-feira, 5, que o Brasil incluirá crianças de 5 a 11 anos no Plano Nacional de Imunização (PNI) e no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação Contra a Covid-19, Goiás se prepara para receber as vacinas na semana que vem, dia 14. “Queremos que os pais, os responsáveis por essas crianças tenham segurança e confiança nessa vacina”, afirma a superintendente interina de Vigilância em Saúde de Goiás, Cristina Laval.

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO), o Estado planeja, em conjunto com as gestões municipais, as estratégias de vacinação das crianças que serão adotadas conforme o quantitativo de doses recebidas do MS. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), estima que a população goiana de 5 a 11 anos é composta por 726.580 crianças.

Conforme a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS), a vacina destinada a essa faixa etária será a Pfizer. Não será necessário nenhum laudo médico para que as crianças recebam a dose do imunizante, como já havia adiantado o MS e o secretário de Estado de Saúde de Goiás, Ismael Alexandrino. A medida é para que não haja dificuldade no avanço da imunização dessas pessoas.

O plano de imunização de Goiás prevê que a vacinação se dará por ordem decrescente de idade, ou seja, iniciando com as crianças de 11 anos e sendo, gradativamente, reduzida. Caso o cronograma seja cumprido e as vacinas cheguem na sexta-feira que vem, dia 14, as doses já serão distribuídas para os municípios e o processo de vacinação deve-se iniciar na segunda-feira, 17, conforme afirmou Cristina Laval.

Existe muita polêmica e desinformação a respeito sobre aplicar as vacinas contra o Covid-19 em crianças. O próprio presidente Jair Bolsonaro (PL), afirmou que não vacinará sua filha de 11 anos. Contudo, em uma recente entrevista ao Jornal Opção, o médico infectologista, Marcelo Daher, afirmou que “no mundo todo, mais de seis milhões de crianças já foram vacinadas com o imunizante da Pfizer e existem zero óbitos relacionados à vacina. Já a Covid-19 mata e deixa sequelas. O Brasil é um dos países com maior número de mortes entre crianças“, afirmou. Segundo os dados do próprio MS, o país perdeu 2.625 vidas de crianças e adolescentes entre zero e 19 anos no Brasil. Em média, isso significa quatro mortes por dia desde o começo da pandemia. 

O médico goiano e cirurgião pediátrico, Zacharias Calil, também afirmou ao Jornal Opção, que não há dúvidas em relação a segurança da aplicação da vacina em crianças. “Eu acompanhei o trabalho da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e afirmo que o padrão de segurança é o esperado para a aplicação na população. Não há efeitos adversos entre as crianças que sejam muito diferentes dos observados nos adultos”, reiterou.

O secretário de Estado de Saúde de Goiás, Ismael Alexandrino, afirmou que “nós precisamos lembrar que essas crianças, nos próximos dias, vão voltar para as aulas e elas podem se contaminar”. Ismael lembrou que mesmo sendo menos grave em crianças “quando você tem um número muito exacerbado de casos, isso pode trazer complicações” e reiterou que “nós precisamos vacinar com velocidade” essa faixa etária.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.