Goiás é o 3º Estado no ranking do trabalho escravo

Dados inéditos do Ministério do Trabalho e Emprego mostram que, no ano passado, 146 trabalhadores foram resgatados em 11 ações fiscais

Foto: MPT / Fotos Públicas

Foto: MPT / Fotos Públicas

O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) divulgou, nesta quarta-feira (28/1), dados sobre o trabalho escravo no Brasil em 2014. De acordo com o órgão, Goiás é o 3º Estado em que mais se resgatou trabalhadores em situações análogas à escravidão: foram 141 casos identificados.

Apenas Minas Gerais e São Paulo computaram mais casos do que Goiás. Sendo que, no primeiro, foram 354 trabalhadores regatados e, no segundo, 159.

No Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo, o órgão aponta, por meio de parcerias inéditas com o Ministério da Defesa, Exército Brasileiro, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), um total de 1.590 trabalhadores resgatados em todo o país.

Foram 248 ações fiscais nacionais durante todo o ano, sendo 11 delas em Goiás. Os números são decorrentes das ações de fiscalização das equipes do Grupo Especial de Fiscalização Móvel (GEFM), diretamente vinculadas à Divisão de Fiscalização para Erradicação do Trabalho Escravo (Detrae) e também da atuação dos auditores fiscais do Trabalho nas Superintendências Regionais do Trabalho e Emprego (SRTE) em todo país.

Veja o ranking:

POSIÇÃO ESTADO AÇÕES FISCAIS IDENTIFICADOS GEFM RESG.  SRTE RESG.
MG 46 354 0 354
SP 21 159 20 139
GO 11 141 0 141
RJ 10 123 0 123
PI 4 117 0 117

Para o chefe da Detrae, Alexandre Lyra, “os dados ainda que em fase de consolidação, indicam atuação do Grupo Especial de Fiscalização Móvel de Combate ao Trabalho Análogo ao de Escravo (GEFM), decorrente dessas parcerias, em municípios e em atividades econômicas antes não abordados com rotina pela Inspeção do Trabalho”.

O ministro do Trabalho e Emprego, Manoel Dias, afirmou que o governo não pretende se intimidar com a ação dos que promovem o trabalho análogo ao da escravidão e vai continuar atuando, cada vez mais, para coibir essa prática. “Estamos sendo mais eficientes no combate a esta prática. Sem que o combate ocorresse não teríamos esses números para oferecer”, destacou.

Destaque negativo

Além da terceira posição do estado, a cidade de Mineiros foi destaque no documento do MTE, que computou 52 trabalhadores identificados em situação de escravidão, em uma fazenda de preparação e fiação de fibras de algodão. Foi a 5º maior identificação em todo o Brasil.

POSIÇÃO ESTADO MUNICÍPIO ATIVIDADE QUANTIDADE
RJ  Macaé  Construção Civil 118
ES Sooretama Colheita de café 86
PI Picos Coleta da palha da carnaúba 61
AC Tarauacá Criação de bovinos para corte 55
GO Mineiros Preparação e fiação de fibras de algodão 52
PI Parnaíba Coleta de palha da carnaúba 52

 

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.