Goiás é líder em cotas imobiliárias. Conheça os benefícios das multipropriedades

Caldas Novas é uma das 28 cidades escolhidas no Brasil para investimentos neste modelo que cresce exponencialmente todo ano

Caldas Novas é líder no segmento de propriedades compartilhadas no Brasil

Cotas imobiliárias, propriedades fracionadas ou regime de multipropriedades são um modelo de negócio recente no Brasil. Trata-se, basicamente, da compra compartilhada de um imóvel de modo que seja possível dividir os custos entre os compradores e, claro, usufruir fracionadamente do mesmo, tirando férias em temporadas diferentes, por exemplo.

Na Europa e nos Estados Unidos, este novo tipo de negócio já é uma realidade comum e, no Brasil, apesar de ainda ser novidade, já existem mais de 50 empreendimentos desenvolvidos para o estilo, alguns ainda em construção, mas que já geraram mais de 11 bilhões de reais em investimentos. Caldas Novas, região sul do Estado de Goiás, é uma das 28 cidades escolhidas para o investimento deste modelo de negócio no país, sendo a líder no segmento e recebendo mais da metade de todos os empreendimentos.

Um estudo de 2017 feito por duas das principais empresas intercambiadoras de semanas férias compartilhadas no mundo, a RCI e a Interval, além da maior comercializadora deste tipo de propriedade no país, a WAM, identificou 56 empreendimentos fractionais no Brasil. 19 destes já foram inaugurados e 37 estavam em construção ou em lançamento na época da pesquisa.

Juntos, os empreendimentos reúnem hoje 14.511 unidades residenciais fracionadas e 217.377 frações (ou cotas), com um valor médio de venda de aproximadamente R$ 51,2 mil por fração. As propriedades se espalham em 12 estados e 28 cidades. Goiás é o estado líder neste tipo de imóvel (22 propriedades e cerca de 50 mil cotas sendo comercializadas atualmente), seguido do Paraná e Rio Grande do Sul (com oito cada).

De acordo com o advogado e presidente da Comissão de Direito Imobiliário e Urbanístico da OAB de Goiás, Diego Amaral, Caldas Novas Goiás sai à frente de outros estados, sendo considerada a capital brasileira de empreendimentos incorporados no sistema multipropriedades por vários motivos.

“A cidade é conhecida por ser a maior estância hidrotermal do mundo, com nascentes em temperaturas que variam de 43° a 70°, além de ser um município que tem como principal fonte de renda o turismo e, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em alta temporada, chega a comportar mais de 500 mil turistas”, conta.

O empresário Alessandro Moraes, de 44 anos, é um dos compradores de cotas em Caldas Novas, ele possui três e garante que é um negócio que valeu a pena. “Tenho a escritura das cotas referentes aos imóveis de veraneio e pago de acordo com o período que uso, sem falar que, estando lá, recebemos os mesmos serviços de um hotel, e não preciso me preocupar com pagamento de água, energia, IPTU”, conta.

Além disso, Alessandro explica que há uma taxa de condomínio dividida entre todos os cotistas que cobre todos os custos. Cada um tem seu período e, no dele, é possível alugar para outros, emprestar, revender, enfim, fazer o que bem entender.

“As propriedades compartilhadas são um dos segmentos do mercado imobiliário que mais crescem no Brasil e no mundo. A fórmula é simples, as quotas imobiliárias são divididas e vendidas, normalmente, para grupos de 10 a 28 famílias, tornando preço mais acessível para o consumidor que pretende obter uma propriedade em algum local turístico do Brasil, depois se determina o tempo limite que cada família pode usar por ano”, volta a defender Diego.

O advogado diz, ainda, que as temporadas são randômicas, mudando de ano para ano em um acordo entre a incorporadora e o cliente. Assim, todos os cotistas podem usufruir do imóvel em diferentes épocas a cada uso.

“Isso multiplica a satisfação dos consumidores e o retorno financeiro das empresas que trabalham nesse segmento, além da consequente contribuição de mais oportunidades trabalhistas. No fim, a satisfação é de todos os lados”, conta.

Pirenópolis

Outra cidade de grande porte turístico em Goiás, Pirenópolis irá receber o primeiro empreendimento de multipropriedade, o Quinta Santa Bárbara Eco Resort. Trata-se de uma reestruturação da antiga Pousada Quinta Santa Bárbara, que está na cidade desde início dos anos 1980.

Com uma proposta de integração ao conjunto arquitetônico da cidade e respeito ao meio ambiente, o terreno de 60 mil m² será ocupado com edificações em apenas 10% de sua área total, terá 72% de área permeável, e mais de 30 mil m² de áreas verdes, que incluem a área de preservação permanente (APP).

A arquitetura será em estilo colonial, conforme exigências do Iphan e o início das operações está previsto para 2021.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Vitor Rocha Costa

Interessante a proposta…Isso só poderia para imóveis novos com esse tipo de modalidade, correto? Como poderíamos incorporar em imóveis prontos? Isso poderia ajudar o mercado aqui do Rio de Janeiro que esta precisando e muito!

Cláudio

Claro que é. A maioria dos corretores enganam os turistas trouxas, como eu. Vejam os números no RECLAME AQUI.

soair

Boa noite
comprei umas cotas de um resort com o objetivo de obter renda, e possivel?
pela conversa dos corretores sim
gostaria de saber si alguem ja comprou e teve algum resultado
obrigado