O artista goiano Auriovane D’Ávila quer provar que é o responsável pela maior pintura de areia colorida do mundo. Ele pretende entrar para o livro dos recordes com uma obra de 1,6 m de altura por 5 m de largura que vai ficar exposta no Museu da Memória Judiciária, que fica localizado no antigo Fórum da Cidade de Goiás.

“Já consultei o Guiness Book e lá não tem essa categoria ainda”, afirmou o artista. Justamente por isso, ele quer garantir seu nome – e sua tela – no livro dos recordes e já começou a reunir tudo o que é preciso para isso. “Ninguém nunca ousou fazer um quadro desse tamanho ainda”, garantiu Auriovane.

Para realizar o trabalho de 8 m², o artista estima que foram utilizados 10 kg de areia e 5 litros de cola. Além disso, oram necessários seis meses de trabalho para que o quadro ficasse pronto. “Parte da minha coleção pessoal de areias foi usada para que essa obra fosse finalizada”, afirmou.

A pintura retrata a fachada do antigo Fórum da Cidade de Goiás, mas também traz elementos da cultura goiana, como a Procissão do Fogaréu, o Rio Araguaia, as carregadeiras d’água (as negras que levavam os potes de água da fonte na cabeça para as casas) e a lenda da Carioca (há quem acredita que quem bebe nessa fonte, nunca mais sai da cidade). Os povos originários também são representados na tela.

Artista demorou seis meses para finalizar o trabalha | Foto: divulgação

Auriovane conta que o painel foi encomendado pelo Poder Judiciário e vai compor o acervo do Museu da Memória Judiciária, que fica localizado no antigo Fórum da Cidade de Goiás. A inauguração está marcada para o dia 19 de maio, no evento que vai encerrar a programação da II Semana da Memória do Poder Judiciário goiano.

A técnica utilizada por Auriovane é a mesma que a artista vilaboense Goiandira do Couta usava. Com a morte dela, ele se tornou a maior referência no Estado nesse tipo de pintura e ganhou o apelido de “mago das areias”.

500 tons de areia

Em sua coleção pessoal de areia, que Auriovane coleciona desde os 12 anos – já são 30 anos colecionando areia -, o artista possui mais de 500 tonalidades. No quadro em questão, ele calcula que foram utilizadas cerca de 30.

Coleção do artista tem mais de 500 tonalidades de areia | Foto: Divulgação

Segundo o artista, essa vasta coleção foi fundamental para o sucesso do projeto grandioso. “A maior dificuldade desse tipo de trabalho é encontrar a areia da mesma cor para finalizar o quadro e a areia não permite erro”, explicou.

Além disso, é necessário muita técnica e habilidade. “Depois de passar a cola na tela, é preciso depositar a areia em segundos nos lugares certos para garantir o efeito de luz e sombra que dá profundidade”, explicou o artista que já tem 32 anos de carreira e estudou na Escola de Artes Plásticas Veiga Valle, da Cidade de Goiás.