Goiânia tem aumento 7% no número de acidentes com mortes em 2020

A maior parte dos óbitos foi de pessoas residentes em Goiânia, sendo que 76% eram do sexo masculino, com idades entre 20 e 59 anos

Acidentes de trânsito | Foto: divulgação


Goiânia teve aumento de 7% no número de acidentes fatais no trânsito em 2019 e 2020. O número de mortes passou de 168 para 180. Os dados foram apresentados nesta terça-feira, 22, pelo secretário de Saúde de Goiânia, Durval Pedroso, em reunião da Comissão Intersetorial do Programa Vida no Trânsito.

De acordo com levantamento, a maioria dos acidentes ocorreu nos finais de semana e segundas-feiras, no período noturno. A maior parte dos óbitos foi de pessoas residentes em Goiânia, sendo que 76% eram do sexo masculino, com idades entre 20 e 59 anos.

Ranking

Em 1º lugar no ranking do tipo de vítima segundo o meio de transporte são os motociclistas, com 101 mortes;  em 2º pedestre, 36 vítimas e 3º ciclista, com 17 óbitos. O número de ciclistas mortos no trânsito teve aumento de quase 100% em relação a 2019, mas nenhum caso ocorreu em ciclovias. 

Entre os principais fatores de risco levantados pelo estudo está em primeiro 1º a velocidade, 51 óbitos (45% dos casos); 2º álcool, 34 óbitos (33% dos casos) e 3º infraestrutura, 9 óbitos (8% dos casos).

Além disso, outros fatores levantados no estudo como conduta de risco, apontam 1º conduzir sem CNH (23%); 2º não manter distância mínima (17%) e 3º avanço de sinal (14%), 17 pessoas foram a óbito por avançar o sinal. Já entre os fatores e gravidade estão o não uso do cinto de segurança ou da “cadeirinha. No caso dos motociclistas, o principal acidente foi de colisão com um automóvel. Os pedestres tiverem como principal acidente  atropelamento por um automóvel, em seguida por uma motocicleta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.