Goiânia registra 1,40% na prévia da inflação sendo a terceira maior do país

Índice teve impacto pela alta de Transportes (4,95%), influenciado pela alta nos preços dos Combustíveis (14,24%),  Alimentação e bebidas (1,40%)

Dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que a prévia da inflação em Goiânia foi de 1,40% em março, sendo a terceira maior no país. Número corresponde ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 – IPCA-15. O índice foi impactado principalmente pela alta de Transportes (4,95%), influenciado pela alta nos preços dos Combustíveis (14,24%), e Alimentação e bebidas (1,40%).

A maior alta foi na região metropolitana de Belém (1,49%), especialmente em função da gasolina (12,44%). A menor foi na região metropolitana do Rio de Janeiro (0,52%), influenciado pelas quedas do tomate (-21,73%) e da batatainglesa (-16,91%).

Os números mostram que o acumulado no ano vai a 2,27%, e o acumulado dos últimos 12 meses, a 6,08%. O índice nacional apresentou alta de 0,93% em março, 0,45 ponto percentual acima de fevereiro, 0,48%. É o maior resultado para um mês de março desde 2015, quando o índice foi de 1,24%. No acumulado dos últimos 12 meses, o IPCA-15 aponta alta de 5,52%. Em março de 2020, a taxa mensal foi de 0,02%.

Variações

A prévia da inflação registrada para os Combustíveis de veículos em Goiânia foi de 14,24% em março, acima da nacional (11,63%) e a maior entre os locais pesquisados, Belo Horizonte ficou em segundo lugar com (13,47%). Trata-se ainda da maior alta para um mês de março desde o início da série histórica, maio de 2000, e a maior desde fevereiro de 2003, quando o índice atingiu 16,13%.

A análise por grupos também mostra que, dos nove pesquisados, apenas um apresentou queda na prévia da inflação de março em Goiânia. O grupo de Vestuário caiu 0,65%, influenciado principalmente pelas reduções nos preços do tênis (-3,13%), da blusa (-2,34%) e da calça comprida feminina (- 1,31%).

Já entre os oito grupos que tiveram aumentos na prévia da inflação de março, além do destaque do grupo de Transportes (4,95%), maior aumento desde novembro de 2005 (6,70%), os destaques foram para a Educação, que registrou alta de 0,88% em março, terceira alta do ano, puxada principalmente pelos aumentos de 7,55% nos valores do curso preparatório, de 5,48% no curso de idioma, e de 1,46% nos artigos de papelaria, seguido pelo grupo Artigos de residência, que chega ao seu décimo resultado positivo (0,71%), devido às altas do computador pessoal (2,69%), conserto de bicicleta (2,39%) e televisor (2,21%).

Ainda registraram altas na prévia da inflação do mês de março em Goiânia os grupos de Despesas pessoais (0,52%), décima alta consecutiva; de Alimentação e bebidas (0,39%), que volta a subir após a queda de fevereiro (-0,27%); de Habitação (0,14%), que também volta a crescer após o recuo de fevereiro (-1,52%); de Saúde e cuidados pessoais (0,11%), quinta alta consecutiva; e de Comunicação (0,06%), que registra a primeira variação positiva no ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.