Gilmar Mendes vota pela parcialidade de Sérgio Moro

A 2ª Turma do STF julga em sessão nesta terça-feira, 9, ação movida pelo petista contra o ex-magistrado que atuou no processo da Operação Lava-Jato

Foto: Nelson Jr. / STF

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, defendeu a suspeição do ex-juiz Sergio Moro no processo em que o ex-presidente Lula (PT) foi condenado por receber um tríplex no Guarujá. A 2ª Turma julga em sessão nesta terça-feira, 9, ação movida pelo petista contra o ex-magistrado que atuou no processo da Operação Lava-Jato.

Em voto de mais de uma hora, Gilmar Mendes disse que Moro teve atuação concentrada com objetivo de inviabilizar de forma definitiva a participação de Lula na vida política nacional. O ministro ainda citou o juiz Marcelo Bretas, do Rio de Janeiro, e disse se tratar de um “escândalo” o que “se fala na 7ª vara federal”.

O ministro ainda criticou as prisões preventivas e afirmou que Moro atuava como integrante do Ministério Público, responsável por fazer as acusações e disse que não chegou ao STF pelas mãos do PT.

“O combate à corrupção é fundamental. Agora, uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. O combate à corrupção tem que ser feito dentro dos moldes legais. Não se combate crime cometendo crime”, disse.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.