Gestão Iris aumenta valores e usuários têm aumento de 10% nas consultas do Imas

Além da contribuição mensal, trabalhadores terão que pagar a mais na coparticipação de consultas

Foto: Marcelo Gouveia

Um decreto publicado pelo presidente do Instituto de Assistência à Saúde e Social dos Servidores Municipais de Goiânia (Imas), Sebastião Peixoto, que aumenta o valor das coparticipações pagas pelo servidor municipal e acaba com a isenção do pagamento de consultas médicas para consulta oncológicas e reumatológicas, começou a valer esta semana.

De acordo com a prefeitura da capital, o valor das consultas, pagas como coparticipação, agora são de R$ 22,50 para quaisquer especialidades, inclusive para oncologia e reumatologia, que antes não eram cobradas. Isso representa um aumento de 10%.

A vereadora Dra. Cristina (PSDB), que faz parte da Comissão Especial de Investigação (CEI) da Saúde, não concordou com a decisão. Ela diz que pagar coparticipação é normal, mas cobrar um valor como o que é cobrado é “um absurdo”. “Normalmente os conveniados pagam um valor simbólico de até dez reais. O que a prefeitura está querendo é lucrar com isso. É roubo e apropriação indébita de valores”, declarou.

A parlamentar afirmou ainda que o instituto tem condições de custear as consultas oncológicas, mas, como é um serviço que demanda atendimentos em longo prazo – pois quem tem câncer precisa se tratar durante anos – “eles não querem pessoas que deem altos custos pra saúde”.

À reportagem, Sebastião Peixoto, disse que o Imas ficou quatro anos sem aumentar os valores e que esse acréscimo foi abaixo da inflação. “Hoje o conveniado paga apenas uma taxa oitenta reais para toda família, mais as coparticipações das consultas que procura”, explicou.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.