Gerente suspeito de aplicar golpe milionário em sertanejos fica calado em depoimento

De acordo com delegado responsável pela investigação, homem não respondeu nada sobre caso, mas disse que se escondeu por medo após ameaças de morte

Delegado Eli José de Oliveira | Foto: Marcelo Gouveia/Jornal Opção

O gerente Fernando Dias da Silva, do banco Santander de uma agência do Setor Bueno, em Goiânia, suspeito de aplicar um golpe milionário no cantor Leonardo e outros artistas não comentou nada sobre o caso em depoimento prestado ao delegado Eli José de Silveira, do 4º Distrito Policial da capital. “Ao ser interrogado, ele disse que reservava o direito constitucional que tem de se declarar somente no Judiciário”, afirmou.

De acordo com Eli, o gerente apenas afirmou que estava escondido em casa de parentes por medo após receber ameaças de morte.

Seriam aproximadamente 30 vítimas que teriam perdido dinheiro depois que Fernando sacou altos valores com falsificação de assinaturas. “Ele adquiria certa amizade com as vítimas, que davam certa confiança para que fossem feitas movimentações. Até que o dinheiro não retornou para as contas”, disse.

O prejuízo gira em torno de R$ 4 milhões. “Mas pode ser bem mais”, admitiu o delegado. Apesar das suspeitas, o cantor Leonardo ainda não fez nenhuma reclamação oficial contra o banco. “Mas vamos ouvi-lo”, acrescentou Eli.

Após a conclusão dos autos, a possibilidade de prisão preventiva será analisada.

Em nota, o Banco Santander informou que tem interesse na identificação de responsáveis e pondera que apoiará integralmente a investigação pelos órgãos de segurança pública.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.