Geógrafos e arquitetos reagem a mudança na lei de parcelamento do solo em Goiânia

Em trâmite na Câmara de Goiânia, projeto de lei complementar pode levar sustentabilidade a se tornar um “sonho nostálgico”, dizem signatários de carta

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção Online

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção Online

No dia do aniversário de Goiânia, um grupo liderado por geógrafos, arquitetos e professores universitários, lança, neste sábado, 24, um manifesto nas redes sociais contra o projeto de Lei Complementar 020/2015, em trâmite na Câmara de Goiânia. Professores universitários, arquitetos, geógrafos e líderes de entidades como o Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU) e a Associação dos Geógrafos Brasileiros (AGB) assinam o documento.

A proposta visa estabelecer novos parâmetros para o Código de Parcelamento do Município de Goiânia e mudar o uso das macrozonas rurais do município. Com isso, dizem os signatários da carta, serão atingidas, ainda que pontualmente, “regiões com função ambiental imprescindível para o futuro da cidade”.

Clique aqui para acessar o conteúdo do manifesto na íntegra.

 

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.