Para o presidente o voto impresso é um “capítulo encerrado”

Após o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) compor uma auditoria com dez instituições, incluindo as Forças Armadas, para as eleições de 2022, Jair Bolsonaro afirmou que “agora fica quase impossível uma fraude, porque partimos do princípio de que não vai virar cooptação de militar nessa questão”.

“Nós vamos participar da primeira fase, do código-fonte, até a sala secreta. Não vai ter problema”, afirmou o presidente nessa segunda-feira, 22, a apoiadores na saída do Palácio do Alvorada. “O ideal é o voto no papel, impresso, mas agora fica quase impossível uma fraude”, completou.

Bolsonaro causou muita polêmica nesse ano por querer aprovar o voto impresso para as eleições de 2022. Ele chegou a mobilizar uma legião de apoiadores a favor do voto impresso para atacarem os ministros do STF e do TSE.

Baseando-se em teorias comprovadas falsas pelo TSE, o presidente afirmava que havia fraudes no sistema eleitoral brasileiro. Mas agora que as Forças Armadas vão particpar de todo o processo eleitoral, Bolsonaro disse que o voto impresso é um “capítulo encerrado”.