Foragido, presidente do Pros se apresenta à PF, mas não fica preso

Código eleitoral estabelece que  nenhum eleitor poderá ser preso ou detido a partir desta terça-feira (23/10) até 48 horas após o término da votação no domingo 

Foto: Reprodução/Facebook

Considerado foragido, o presidente nacional do Pros, Eurípedes Júnior, se apresentou voluntariamente na manhã desta terça-feira (23/10), na superintendência da Polícia Federal para prestar esclarecimentos. No entanto, Eurípedes não ficou preso graças a uma determinação do Código Eleitoral que veda prisões desde cinco dias antes e até 48h depois das eleições.

O presidente é investigado pela Operação Partialis que apura desvios de dinheiro  público. Os valores desviados chegam a R$ 2 milhões e a verba seria destinada para compra de gases medicinais em Brasília, Marabá e Altamira no Pará.

Eurípedes também é apontado em irregularidades na compra de uma aeronave que estava sob a responsabilidade do Pros. Segundo a PF, a empresa que vendeu a aeronave e a direção do partido tentaram, ilicitamente, justificar como aconteceu a compra da aeronave. A Receita Federal encontrou diversas irregularidades com movimentações bancárias cinco vezes maior do que as que foram declaradas.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.