Jovem que assaltou o próprio pai para poder comprar crack é condenado a cinco anos de prisão

Segundo os autos do processo, o jovem morava na rua e se drogava com frequência, apesar das tentativas dos familiares de o livrarem do vício

Um jovem morador de Hidrolândia foi condenado por assaltar a casa da própria família e levar um purificador de água e R$ 50 em dinheiro. O rapaz rendeu o próprio pai, que é deficiente auditivo, e planejava utilizar o produto do roubo para conseguir crack.

A juíza da comarca do município, Wilsianne Ferreira Novato, condenou o rapaz a cinco anos de prisão em regime inicialmente semiaberto. Em seu entendimento, “o arcabouço probatório comprova a abordagem feita pelo réu em desfavor da vítima, aproveitando-se da ligação paterna para efetuar a prática do crime”.

No julgamento, foram levados em consideração os depoimentos do pai e do primo do acusado – que relatou casos envolvendo o vício do rapaz e sua mania de roubar para adquirir drogas –, além do policial militar que atendeu a ocorrência.

Segundo os autos do processo, o jovem morava na rua e se drogava com frequência, apesar das tentativas dos familiares de o livrarem do vício. No dia do crime, ele invadiu a casa do pai durante a madrugada e ameaçou matar toda a família caso não recebesse dinheiro.

Quando o rapaz foi embora, o pai chamou a polícia, que o localizou com a quantia e o objeto roubados. O fato do jovem ter agido sob influência de substâncias entorpecentes, para a juíza, não causa a imputabilidade, ou seja, ele deve responder pelo crime. “O acusado possuía consciência da ilicitude do fato. Sua conduta revela-se de intensa reprovabilidade, vez que alfabetizado e possuía discernimento suficiente para evitar este ato nefasto e, além disso, subtraiu coisa alheia móvel da vítima, seu genitor, deficiente, com emprego de violência e grave ameaça”

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.