Fachin nega pedido de prisão do senador Aécio Neves

Procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pode recorrer da decisão e caso ser levado ao plenário do STF

O ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), negou o pedido de prisão do senador Aécio Neves (PSDB-MG) e resolveu não levar o caso para o plenário. As informações são do gabinete do ministro.

Agora, o plenário só avaliará o caso se o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, autor do pedido, decidir recorrer da decisão.

Apesar de negar o pedido de prisão, Fachin já havia determinado o afastamento de Aécio do mandato de senador e autorizou buscas em endereços ligados a ele em Brasília, em Belo Horizonte e no Rio de Janeiro, cumpridos pela Polícia Federal na manhã desta quarta-feira (18/5).

Aécio Neves foi gravado e denunciado por Joesley Batista, dono da holding J&F (que controla a JBS Friboi), em suposto esquema de pagamento de propina. Segundo o jornalista Lauro Jardim, de O Globo, Aécio Neves aparece em áudio pedindo R$ 2 milhões a Joesley.

O dinheiro teria sido entregue a um primo do tucano e o encontro foi filmado pela Polícia Federal. A PF rastreou o trajeto do dinheiro e concluiu que foi depositado em uma empresa do senador Zezé Perrella (PMDB-MG).

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.