Exames feitos na rede pública são alvos de suspeita em Goiânia

Vereadora afirma que tem recebido denúncias de médicos que desconfiam da veracidade dos resultados apresentados pelos laboratórios contratados pela SMS

A crise instalada depois que a Prefeitura de Goiânia decidiu reduzir o número de laboratórios credenciados para a realização de exames da rede municipal de Saúde continua afetando aqueles que precisam de atendimento médico na capital.

A vereadora Cristina Lopes falou em entrevista ao Jornal Opção que tem recebido denúncias de médicos que desconfiam da veracidade dos resultados apresentados pelos laboratórios contratados pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

“O sangue não tem o armazenamento correto, não se sabe como é feito esse transporte. Quando chega o exame, o resultado é muito diferente da clínica que o paciente vem apresentando. Pode ser um falso ou falso negativo, o que complica ainda mais a vida do paciente”.

A parlamentar lembra que antes da mudança, os exames eram realizados nas próprias unidades de saúde, o que agilizava o processo.

“Você chegava num Cais e, com uma hora e meia, você tinha o resultado de um exame, um diagnóstico fechado. Hoje não existe mais esse serviço, as pessoas esperam 24 horas porque busca a amostra na unidade, leva à distância para depois trazer o resultado”.

Mudanças

No final do ano passado a secretária municipal de Saúde, Fátima Mrué, afirmou que existiam mais de 80 laboratórios conveniados na rede e que era “impossível acompanhar todos os contratos”.

“A gestão é totalmente focada e centrada no paciente e não no prestador, tem mais de 80 laboratórios credenciados, mais de 200 prestadores ao todo, não dá para acompanhar todos os contratos. É uma estratégia de gestão, para conseguir acompanhar todos os contratos. Serão no máximo 14, é opção administrativa, não preciso discutir com eles”, declarou na época.

Agora, a gestão estuda implantar convênio para que uma única associação filantrópica assuma a realização de exames em Goiânia.

A proposta de plano de trabalho da Prefeitura de Goiânia com a Associação Fundo de Incentivo à Pesquisa (Afip) seria apresentada durante reunião do Conselho Municipal de Saúde de Goiânia, no dia 21 de fevereiro. No entanto, o assunto foi retirado da pauta e ainda não foi apresentado.

A reportagem entrou em contato com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) para saber a respeito da qualidade dos exames realizados atualmente pela pasta, mas até a publicação desta matéria, não obtivemos respostas.

Deixe um comentário